Martin Mejia/AP
Martin Mejia/AP

Rubén Magnano exalta raça da seleção brasileira no Pré-Olímpico

Treinador não esconde a emoção da conquista do Brasil, longe de uma Olimpíada desde 1996

AE, Agência Estado

11 de setembro de 2011 | 11h17

MAR DEL PLATA - Após garantir o Brasil na Olimpíada de Londres, o técnico argentino Rubén Magnano exaltou ainda na noite de sábado a raça da sua equipe durante toda a disputa do Pré-Olímpico de basquete em Mar del Plata. A seleção brasileira assegurou a classificação ao vencer a República Dominicana por 83 a 76, em uma das semifinais da disputa.

"Eu não estava convencido de que conseguiríamos a vaga para Londres/2012, mas estava certo de que nenhuma equipe iria passar por cima da gente com facilidade", comentou o treinador, que não escondeu a emoção diante da conquista do Brasil, longe de uma Olimpíada desde 1996. A última vez que o basquete brasileiro participou de uma Olimpíada foi em Atlanta/96. Naquela ocasião, ainda com Oscar Schmidt em quadra, o Brasil perdeu para a Grécia por 91 a 72 e deu adeus à competição. Era 3 de agosto de 1996. E aquela partida definia a quinta posição da disputa.

Rubén Magnano era só alegria após a vitória. "Acho que estou vivendo uma das maiores emoções da minha vida", declarou Magnano, que entre outras conquistas comandou a seleção da Argentina no título olímpico de 2004. "Este foi um grande feito do basquetebol brasileiro, recuperando a sua vaga em uma edição dos Jogos Olímpicos. E o Brasil deve aproveitar esse momento".

Magnano ainda agradeceu o apoio demonstrado pelos jogadores desde sua chegada à seleção do Brasil. "Quero agradecer a todos os jogadores que compõem o nosso grupo, inclusive aqueles que não puderam estar conosco até o final".

Depois de assegurar a vaga olímpica, o Brasil voltará à quadra na noite deste domingo, a partir das 21h15, para fazer a final do Pré-Olímpico contra a anfitriã Argentina, também já garantida em Londres.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.