Andy Marlin / USA Today Sports
Andy Marlin / USA Today Sports

Rudy Gobert combate imagem negativa na NBA: 'Eu não trouxe a doença para os EUA'

Pivô do Utah Jazz foi o primeiro jogador a ser diagnosticado com a covid-19 nos Estados Unidos

Redação, Estadão Conteúdo

29 de junho de 2020 | 11h05

Primeiro jogador da NBA a ser diagnosticado com o coronavírus, em 11 de março, o pivô Rudy Gobert, do Utah Jazz, afirmou, nesta segunda-feira, não ser o responsável por trazer a covid-19 para os Estados Unidos.

"A NBA estava esperando um primeiro caso para paralisar o campeonato. Então, me tornei uma imagem do coronavírus para os americanos", afirmou o jogador francês, em uma entrevista para o jornal L'Equipe. "Mas não fui eu quem levou o vírus para os Estados Unidos."

Gobert foi bastante criticado, quando durante uma entrevista, antes de ser testado com coronavírus, brincou com os jornalistas, passando a mão nos microfones, como se estivesse transmitindo a doença.

Após dar positivo para a covid-19, o francês doou US$ 500 mil em 14 de março, para aliviar a situação dos afetados pelo coronavírus nas cidades de Utah e Oklahoma, além do sistema de saúde da França.

Gobert disse que ainda tem dificuldade com o olfato. "O paladar retornou, mas ainda tenho dificuldades para sentir o cheiro e alguns médicos me disseram que isso pode durar até um ano."

Para manter a forma, o atleta, de 2,18 metros e 28 anos de idade, afirmou que pratica boxe, natação e corridas pelas montanhas onde mora em Saint-Quentin, na França. "Nunca fiquei tanto tempo sem jogar basquete. Sinto muita falta e não vejo a hora de entrar em uma quadra para disputar uma partida", disse o jogador, que também ainda sente formigamento nos dedos dos pés.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.