Nick Wass/AP
Nick Wass/AP

Seattle Storm 'varre' Washington Mystics e fatura a WNBA pela 3ª vez

Com vitória por 98 a 82, equipe fecha série melhor de cinco por 3 a 0; Breanna Stewart é eleita MVP

Estadão Conteúdo

13 Setembro 2018 | 00h18

O Seattle Storm conquistou nesta quarta-feira o título da temporada 2018 da WNBA. Fora de casa, no ginásio da George Mason University, a equipe não tomou conhecimento do Washington Mystics, ao vencer por 98 a 82, e selou a "varrida" por 3 a 0 na série melhor de cinco jogos da decisão.

Novamente comandado pela ala Breanna Stewart, eleita MVP (Jogadora Mais Valiosa) da temporada regular e da final, o Storm atropelou o Mystics na decisão. Em três jogos, selou a vitória no confronto para ficar com o título da principal liga norte-americana feminina de basquete pela terceira vez, igualando o que fez em 2004 e 2010.

Somente no segundo jogo da série, vencido em Seattle por 75 a 73, o Storm teve alguma dificuldade. Na primeira partida, a equipe já havia passado com certa facilidade pelo Mystics, por 89 a 76, embalada pela grande vitória por 3 a 2 na série anterior, pela semifinal, diante do Phoenix Mercury.

Nesta quarta, o Storm ignorou a torcida da casa e abriu 17 pontos ainda no primeiro tempo. Na volta do intervalo, a equipe até diminuiu o ritmo, mas nunca permitiu que o Mystics sequer encostasse no placar.

Mais uma vez, Stewart foi a cestinha do Storm, com 30 pontos, além de oito rebotes. Ela teve ainda o importante auxílio da pivô Natasha Roberts, que marcou 29 pontos - melhor marca da carreira - e pegou 14 rebotes. Alysha Clark, com 15 pontos e nove rebotes, e a veterana Sue Bird - remanescente das conquistas de 2004 e 2010 -, com 10 pontos e 10 assistências, também se destacaram.

Do lado do Mystics, de nada adiantou as atuações da principal atleta da equipe, Elena Delle Done, com 23 pontos, e da armadora Kristi Tolliver, com 22. Esta, aliás, foi a estreia em finais da WNBA da franquia de Washington, que segue em busca do primeiro título.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.