Seleção de basquete vence no 1.º teste para Londres

A seleção brasileira masculina de basquete venceu com facilidade a Nova Zelândia por 73 a 49 (33 a 16 no primeiro tempo), pela primeira rodada de um quadrangular preparatório para os Jogos Olímpicos de Londres, no ginásio Milton Olaio Filho, em São Carlos (SP). O armador Leandrinho desfalcou a equipe porque seu seguro ainda não foi providenciado pela CBB. O pivô Tiago Splitter e o armador Marcelinho Huertas, os dois últimos a se apresentarem, foram poupados.

AE, Agência Estado

26 de junho de 2012 | 23h27

A partida marcou o retorno de Nenê à seleção após cinco anos. Em sua cidade natal, o pivô contribuiu com nove pontos e cinco rebotes. O norte-americano naturalizado brasileiro Larry Taylor, que atua pelo Bauru (SP), estreou pela seleção - começou no banco de reservas, entrou no lugar de Raulzinho e conseguiu marcar quatro pontos. O cestinha foi Marquinhos, com 14 pontos.

O técnico argentino Rubén Magnano revezou bastante os jogadores, mas a seleção brasileira manteve o padrão e mostrou força no sistema defensivo, que ele considera fundamental para uma boa campanha olímpica, especialmente no primeiro tempo. Já a equipe neozelandesa, em preparação para o Pré-Olímpico Mundial - começa na semana que vem, na Venezuela, não é nem sombra daquela que foi a quarta colocada no Mundial de 2002, em Indianápolis, nos Estados Unidos.

Nesta quarta, às 21h30, o Brasil enfrenta a Nigéria. Na preliminar, nesta terça, os nigerianos foram derrotados pela Grécia pelo placar de 88 a 76. Os gregos serão os adversários da seleção brasileira na última rodada do quadrangular, na quinta.

O torneio na cidade de São Carlos é o início da série de amistosos de preparação da seleção brasileira para os Jogos Olímpicos. Depois do quadrangular no interior paulista, a equipe de Rubén Magnano participa de testes em Foz do Iguaçu (PR), Estados Unidos e França, antes da chegada a Londres.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.