Fiba Américas/Divulgação
Fiba Américas/Divulgação

Seleção feminina de basquete perde final do Sul-Americano para a Argentina

É a primeira vez desde 1984 que o Brasil não conquista o título da competição

O Estado de S.Paulo

05 Setembro 2018 | 00h18

A seleção brasileira feminina de basquete ficou com o vice-campeonato do Sul-Americano, disputado na cidade de Tunja, na Colômbia. Na noite desta terça-feira, as comandadas do técnico Carlos Lima levaram a virada no último quarto e perderam a decisão para a Argentina por 65 a 64. 

Esta é a primeira vez desde 1984 que o Brasil não conquista o título sul-americano, em resultado que confirma o momento complicado do basquete feminino no País. 

Clarissa foi o principal destaque da seleção na partida ao registrar um "double-double" de 19 pontos e 15 rebotes, enquanto Jaqueline fez 13 pontos e Tainá Paixão somou dez. Já a Argentina acabou sendo mais consistente, com cinco jogadores marcando ao menos dez pontos, sendo que os principais destaques foram Andrea Boquete e Macarena Rosset, ambas com 13. 

Porém, o desempenho das equipes no primeiro tempo indicava que o Brasil conquistaria o título sul-americano até com alguma facilidade. Afinal, a equipe fechou o primeiro quarto em vantagem de 17 a 8. E ampliou o marcador na saída do intervalo para 32 a 20. 

Só que as argentinas reagiram na volta do jogo, melhorando consideravelmente a produção ofensiva e diminuindo a dianteira brasileira no placar para 48 a 42. E a equipe acabou conseguindo a virada nos minutos finais do último quarto, quando as equipes duelaram ponto a ponto. E, a três segundos do fim, Melisa Gretter converteu um tiro livre, de falta cometida por Lays, e garantiu a conquista da sua seleção.  

Apesar da derrota na decisão, a campanha no Sul-Americano já havia garantido o Brasil na Copa América de 2019 - que vale como pré-olímpico para os Jogos de 2020, em Tóquio.  A seleção fechou a fase de classificação com a primeira colocação do Grupo A, somando seis pontos: Foram vitórias sobre Venezuela (77 a 42), Paraguai (100 a 75) e Chile (99 a 66). Depois, nas semifinais, fez 67 a 58 na Colômbia. Mas acabou caindo para a Argentina na final. 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.