Divulgação Fiba
Divulgação Fiba

Seleção masculina de basquete estreia com vitória nas Eliminatórias

Equipe do croata Aleksandar Petrovic comete alguns erros, mas supera o Chile com facilidade em Osorno

Estadão Conteúdo

24 Novembro 2017 | 23h50

A seleção brasileira masculina de basquete estreou com vitória sob o comando do técnico croata Aleksandar Petrovic. Nesta sexta-feira, no ginásio Monumental Maria Gallardo, em Osorno, o Brasil se aproveitou da vantagem física e técnica e superou o Chile por 86 a 73 (37 a 28 no primeiro tempo), no primeiro jogo pelas Eliminatórias do Mundial da China, em 2019.

A vitória na estreia era fundamental, já que o Chile é considerado o adversário mais frágil do grupo, que conta ainda com Venezuela e Colômbia. O segundo jogo da seleção no qualificatória será nesta segunda-feira, às 20h30, na Arena Carioca 1, no Rio de Janeiro, diante dos venezuelanos.

Com pouco tempo para trabalhar antes da estreia, Aleksandar Petrovic apostou para iniciar o jogo um quinteto respaldado pela experiência de Anderson Varejão, Alex e Vítor Benite e pelo entrosamento dos jovens Yago e Lucas Dias, companheiros de equipe no Paulistano.

O começo foi nervoso, com alguns erros na rotação. Sem aproveitar Anderson Varejão no garrafão, a seleção se precipitava nos arremessos de três. Com boa presença de público no ginásio em Osorno, o Chile aproveitou para abrir cinco pontos.

Aos poucos, o Brasil se acertou, colocou Anderson Varejão em ação e virou o placar, pulando na frente no placar pela primeira vez por 9 a 8. A seleção passou a controlar melhor o jogo e se aproveitou da vantagem física e técnica para fechar o primeiro quarto com três pontos de diferença: 16 a 13.

Aleksandar Petrovic trocou algumas peças ainda antes do final do período inicial e voltou com uma equipe completamente diferente no segundo quarto. A seleção voltou com Ricardo Fischer, Jhonatan, Léo Meindl, Lucas Mariano e Rafael Hettsheimeir.

Apesar de não exercer uma defesa tão forte e cometer alguns erros ofensivos, o Brasil foi ampliando o placar diante da fragilidade chilena. Com bom desempenho de Rafael Hettsheimeir no ataque e uma bola de três de Ricardo Fischer na última posse, a seleção abriu a sua maior vantagem no final do primeiro tempo: 37 a 28.

A seleção começou o terceiro período novamente com o quinteto inicial e abusando das bolas de três pontos. O aproveitamento, porém, não era tão bom. Para sorte do Brasil, Anderson Varejão tirava proveito da maior estatura para recuperar os rebotes ou, com tapinhas, servir os companheiros para uma nova tentativa de fora.

A vantagem foi crescendo no placar, com boa participação ofensiva de Alex, que terminou o terceiro quarto como cestinha com 12 pontos. O Brasil fechou a parcial com uma vantagem confortável de 15 pontos: 62 a 47.

O último quarto começou com o Brasil com bom aproveitamento ofensivo e ampliando o placar. O Chile, no entanto, reagiu com algumas bolas de três, mas o Brasil soube utilizar o jogo interno, principalmente com Lucas Mariano, para segurar uma vantagem segura até fechar o jogo com uma vitória por 86 a 73.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.