Marcello Pires/CBB
Marcello Pires/CBB

Seleção masculina de basquete inicia ciclo sob o comando de croata

Técnico Aleksandar Petrovic estreia contra o Chile, no primeiro jogo das Eliminatórias para o Mundial da China

Marcius Azevedo, O Estado de S.Paulo

24 Novembro 2017 | 07h00

Após pífia campanha nos Jogos Olímpicos do Rio de 2016 e do fracasso na Copa América em setembro, quando não conseguiu sequer vaga para os Jogos Pan-Americanos, o Brasil busca renascer no basquete sob nova direção. O técnico croata Aleksandar Petrovic estreia contra o Chile, hoje, em Osorno, às 22h, com transmissão do Esporte Interativo, no início da caminhada das Eliminatórias para o Mundial da China, em 2019.

+ Motivado na seleção, Varejão diz: 'Voltar ao Brasil está em aberto'

O novo formato do qualificatório, parecido com o futebol, promete ser um desafio, principalmente pela dificuldade na liberação dos jogadores. Petrovic, por exemplo, não pôde convocar para a primeira janela - o Brasil enfrenta ainda a Venezuela na segunda-feira, no Rio - os jogadores que atuam na NBA. Perdeu ainda o armador Marcelinho Huertas, que não foi liberado pelo Baskonia, da Espanha, pela falta de diálogo entre Fiba e Euroliga. Augusto Lima e Marquinhos pediram dispensa.

O principal nome será Anderson Varejão. Aos 35 anos, o pivô está sem clube desde fevereiro, quando foi dispensado pelo Golden State Warriors. A seleção terá ainda outros jogadores com bagagem, como Vítor Benite, Alex, Rafal Hettsheimeir e Fischer, além de jovens promissores, como Yago e Lucas Dias. 

"É um grupo interessante, uma mescla de jogadores jovens e experientes. Um novo ciclo está começando, muitas mudanças. O basquete brasileiro precisava disso. Agora é trabalhar e focar para fazer tudo de forma séria", afirmou Benite, do Murcia, da Espanha. "Estamos começando um novo ciclo, novas ideias, tem tudo para dar certo. Agora é trabalhar, estou bastante motivado por estar aqui na seleção”, acrescentou Fischer, que também atua no basquete espanhol, no Bilbao.

Petrovic se mostrou satisfeito, apesar do pouco tempo de trabalho. O treinador teve apenas dois dias de treino com o grupo completo. “É um grupo que está aqui com muita alegria. Sinto uma amizade grande entre eles, e acho que isso já é um ponto importante mesmo antes de entramos em quadra.

CAMINHADA

A primeira fase das Eliminatórias das Américas conta com 16 seleções, separadas em quatro grupos. Os três primeiros de cada chave avançam carregando os resultados para formar dois grupos de seis países e não enfrentam os rivais da fase inicial. Os três primeiros se classificam para o Mundial da China. A sétima vaga será do quarto melhor entre as duas chaves. A última janela será em fevereiro de 2019.

 

FORA DE QUADRA

A estreia de Petrovic é mais um passo da retomada da Confederação Brasileira de Basquete também fora de quadra. A CBB ainda busca sair do buraco desde março, quando Guy Peixoto foi eleito presidente. A entidade está próxima de fechar um patrocinador máster. Atualmente tem acordo com Motorola, Nike e Spalding. Com pouco recursos, o salário do croata é pago pelo Comitê Olímpico do Brasil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.