Sem apoio, Botafogo brilha no basquete

O basquete do Botafogo vive uma situação curiosa. Mesmo sendo a principal surpresa do início da temporada do Nacional Masculino, juntamente com o COC/Ribeirão Preto, pelos resultados obtidos por um grupo de jovens jogadores, não tem o patrocinador que procura há um ano e meio. O técnico Emmanuel Bonfim afirma que é um time que "tem uma camisa virgem, imaculada", nunca antes usada por um patrocinador. Não por falta de procura, nem de resultados.O time tem 100% de aproveitamento no Campeonato Nacional de Basquete, com sete vitórias consecutivas, o recorde da temporada. A equipe conta com o ala-armador Marcelinho, de 2,00 m e 24 anos, destaque da competição - está entre os dez melhores em quatro fundamentos (cestinha, rebote, assistência e bola recuperada). "O trabalho que fazemos está aí, mostrado pelo ótimo desempenho da ?molecada?. Mas se elogios pagassem salários... os nossos salários não estariam atrasados", afirmou Bonfim.O clube disputa o segundo ano do Nacional sem apoio financeiro. "Sinceramente, é muito difícil", revelou Bonfim, que atribui a boa fase ao trabalho, mas também à motivação que vitórias em série proporcionam. "O treino da tarde fica leve, as contusões são superadas... quando se vence, tudo fica fácil."O rival do Botafogo nesta quarta-feira será o mais difícil desde o início da temporada, embora o time já tenha vencido adversários como Casa Branca, Franca, Bauru e Londrina. O Botafogo recebe o Vasco, às 20 horas, no Ginásio de General Severiano. No mesmo horário, jogam Apuel/Sercomtel/Londrina x Unisanta, no Ginásio Moringão.O Botafogo tem apenas dois jogadores acima dos 24 anos, Maozão e o norte-americano Keith Nelson (Alexey, machucado, não está jogando). "É uma base que trabalha junto há um ano e meio e passou a render", lembrou o treinador da equipe.Ao contrário de Vasco e Flamengo, que montaram times com jogadores ?prontos? e consagrados, o Botafogo tem trabalhado jovens e vem mostrando bons resultados. O técnico do Bota não sabe como será a convocação de Hélio Rubens para a seleção brasileira, mas observa que se o objetivo é a renovação terá de chamar a dupla Valtinho, de Franca, e Marcelinho, do Botafogo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.