Sérvia atropela Grécia e pode pegar Brasil no Mundial de Basquete

Do outro lado da chave, Lituânia avança com apertados 76 x 71 contra a Nova Zelândia e pega Turquia ou Austrália nas quartas

Estadão Conteúdo

07 Setembro 2014 | 15h02

Se houver uma mínima lógica no basquete, o Brasil pode se empolgar para o jogo de logo mais contra a Argentina, valendo um lugar nas quartas de final do Mundial Masculino. Afinal, neste domingo, mais cedo, em Madri, a Sérvia atropelou a Grécia, em outro confronto de oitavas de final, por 90 a 72. Na primeira fase, os brasileiros venceram os sérvios e os gregos arrasaram os argentinos.

O resultado no duelo europeu, melhor jogo das oitavas de final até aqui, confirmam também que o Brasil estava no grupo mais complicado da primeira fase. Afinal, os outros três times que avançaram do Grupo A já estão nas quartas de final: Sérvia, Espanha e França. Neste etapa, os Grupo A e B se cruzaram.

Pelo polêmico regulamento do Mundial, que evita a todo custo que EUA e Espanha (dona da casa) se enfrentem antes da final, os times dos Grupos A e B definem um semifinalista. Assim, se o Brasil passar pela Argentina, pega a Sérvia, rival que venceu na primeira fase - na partida, os brasileiros fizeram um primeiro tempo quase perfeito, cederam a virada, mas venceram por 81 a 73 graças a um grande último quarto.

Depois, quem vencer deste jogo, encara o vencedor de Espanha e França. O Brasil ganhou dos franceses, mas perdeu dos espanhóis. Já os sérvios chegam às quartas de final em desvantagem. Afinal, perderam os confrontos diretos na primeira fase.

LITUÂNIA AVANÇA

Do outro lado da chave estão apenas times dos grupos C e D. Favorita a fazer semifinal contra os EUA, a Lituânia avançou com apertados 76 x 71 contra a Nova Zelândia. Nas quartas, vai pegar quem vencer de Turquia x Austrália. Os EUA pegam a Eslovênia.

Mais conteúdo sobre:
basquete Mundial de Basquete

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.