Stephen Curry admite que busca ser melhor do que Michael Jordan

O início da temporada 2015/2016 da NBA tem sido praticamente monotemático para os fãs da melhor liga de basquete do mundo. Ninguém fala em outro assunto que não seja o atual campeão Golden State Warriors. Seja sobre sua busca por recordes, seu estilo de jogo ou seu lugar entre os melhores times da história, a discussão é sempre entorno do time de Oakland.

Estadão Conteúdo

09 de dezembro de 2015 | 20h40

Um dos principais responsáveis por esta fase fantástica é Stephen Curry. Depois de assombrar a NBA com suas bolas de três e ser eleito o MVP (jogador mais valioso) da última temporada, ele conseguiu o improvável: voltou ainda melhor para este campeonato. Mas os números e os elogios não parecem impressionar o jogador, que já definiu: lutará para ser o melhor de todos os tempos, superando, inclusive, Michael Jordan.

"É uma alta montanha para escalar, mas estou muito motivado para aceitar o desafio. Seja o que significar, como você chegou à montanha, por que não escalá-la? E fazer isso dá própria maneira", disse, em entrevista à revista da ESPN nos Estados Unidos. "Eu quero (superar o Michael Jordan e ser o melhor). Por que mais estaria jogando? Você espera ser o melhor que puder. E se o melhor que puder é ser melhor que ele, então por que não? É uma grande motivação."

Curry já detinha o recorde de bolas de três convertidas em uma temporada, com 286 em 2014/2015, havia aperfeiçoado sua defesa nos últimos anos e encaixado seu estilo de jogo na velocidade do Warriors. Mas na atual temporada parece ter melhorado em todos os aspectos. São 32,2 pontos de média por partida, além de seis assistências e cinco rebotes. Da linha de três, está com o incrível aproveitamento de 46,5%, com 119 convertidas em apenas 23 partidas.

"Eu não esperava que tudo isso acontecesse. Quero dizer, esperava ser um armador muito bom da NBA e, quem sabe, vencer um título. Mas MVP e tudo isso? De jeito nenhum. Eu nunca olhei para minhas habilidades e pensei em ser MVP. Isso é muito doido", comentou o armador.

Ele também não consegue esconder que se sente diferente em quadra nesta temporada. "O jogo parece devagar. Me sinto confortável, suave, natural. É esta a confiança de quando estamos na quadra, de que só coisas boas vão acontecer. Qualquer movimento, isso acontece. Você erra um arremesso, mas tem uma fluidez em tudo que você faz. É legal."

Com toda esta "fluidez" do Warriors, a equipe já superou o recorde de vitórias no início de uma temporada e está invicta após 23 partidas em 2015/2016. Além do título, os jogadores miram os recordes e o principal deles é o de melhor campanha em uma temporada regular na história. A marca ainda pertence ao Chicago Bulls de Michael Jordan, que em 1995/1996 venceu 72 dos 82 jogos disputados.

"Queremos buscar 73 vitórias, mas precisamos fazê-lo da forma correta. Queremos continuar melhorando e chegar ao nosso melhor em abril (fim da temporada regular). Se não formos campeões, de que adianta as 73 vitórias?", questionou o jogador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.