Supercopa de Basquete corre risco de ficar sem Rio Claro

Restrição em contrato assinado entre a CBB e canal de TV pode tirar paulistas de torneio da ACBB

Heleni Felippe, O Estado de S. Paulo

22 de fevereiro de 2008 | 20h39

A Associação de Clubes do Basquete Brasileiro (ACBB) pensa em um plano B caso tenha de substituir a Ulbra/Rio Claro na Supercopa: convidar outra equipe para compor o grupo. Pela tabela da competição, que será apresentada na próxima segunda-feira, o time de Rio Claro disputa o ‘double game’ contra o Paulistano, dias 28 e 29 de fevereiro, em São Paulo. A Supercopa foi criada por oito clubes paulistas, integrantes da ACBB e que estão fora do Campeonato Nacional Masculino organizado pela Confederação Brasileira de Basquete (CBB).  A Supercopa surgiu como opção para os clubes que não estão no Nacional. Mas a Ulbra - que jogou o Campeonato Paulista (foi vice-campeã) em uma parceria com São Bernardo do Campo - será a única representante de São Paulo, agora em parceria com Rio Claro, a disputar o Nacional. Também estava inscrita na Supercopa e teria de deixar a competição por causa de uma restrição no contrato assinado entre a CBB e o SporTV - só permite que as equipes do Nacional tenham disputado o Estadual (não um terceiro torneio, no caso a Supercopa). Cássio Roque, presidente da ACBB, confirma que essa cláusula existe no contrato do Nacional. Mas segundo ele não haveria restrições por parte do SporTV. A Ulbra pretendia disputar os dois torneios. "Não tenho dúvida de que é uma forma de pressão, porque a cláusula não tem aplicabilidade. Fomos pegos de surpresa com a informação. A Ulbra foi comunicada que não poderá jogar a Supercopa uma semana antes do campeonato. Os dirigentes do basquete da Ulbra terão uma reunião com o seus advogados, em Porto Alegre, antes de uma decisão", disse Cássio Roque. A CBB tem adotado como resposta para questionamentos sobre o Nacional que as decisões são tomadas pela Comissão de Clubes (que é formada pela Ulbra, além de Universo/Brasília, Minas Tênis, Uberlândia, Flamengo, Iguaçu e Saldanha da Gama).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.