Tarallo lamenta ausência de uma armadora em derrota da seleção

Brasil abriu a série de preparação para Jogos de Londres com revés por 85 a 64 para a Austrália

AE, Agência Estado

24 de junho de 2012 | 19h17

MELBOURNE - A seleção brasileira feminina de basquete abriu a série de amistosos de preparação para os Jogos de Londres com uma derrota por 85 a 64 para a Austrália, em Melbourne. A partida jogada nesta madrugada de domingo foi a primeira de uma série de três, sempre contra as donas da casa.

Os dois times, porém, não usaram suas jogadoras mais experientes. Pelo Brasil, a armadora Adrianinha foi poupada. Pelo lado da Austrália, foi Lauren Jackson, que já foi a melhor do mundo, quem não jogou.

Adrianinha, porém, era a única armadora do elenco que foi à Austrália. Joice, que entrou no lugar dela, precisou ser substituída ainda no primeiro tempo, deixando a quadra machucada. Sem uma armadora de origem, o Brasil pecou na organização das jogadas. No primeiro tempo a seleção do técnico Luiz Cláudio Tarallo foi bem, vencendo por 35 a 29. Mas, na segunda etapa, a defesa não funcionou e as australianas conseguiram a virada.

Tarallo gostou da atuação e colocou como atenuantes a falta de ritmo de jogo e a ausência de uma armadora. "São dois fatores. Foi o primeiro jogo nosso, não estamos num ritmo de jogo para suportar os 40 minutos em ritmo forte. Isso é normal pela fase que estamos. E tivemos duas baixas. A Adrianinha não jogou e a Joice veio bem na partida até que se machucou. Tivemos que adaptar duas laterais para jogar na armação. Elas seguraram bem, mas é um outro ritmo. Nós estamos contentes com o trabalho realizado e deu pra gente perceber que o time tem muitas condições de evoluir", avaliou o treinador.

Os destaques da equipe brasileira foram a pivô Damiris, que fez 13 pontos e pegou 11 rebotes, além de ter dado três assistências, e a ala Iziane, com 16 pontos. Esta também colocou a ausência de uma armadora como diferencial para a derrota. "Foi muito bom, o ritmo forte a gente já esperava. A gente suportou bem, o diferencial foi ter perdido a armadora. A falta da Adrianinha foi coberta pela Joice, mas a falta dela mudou o ritmo do jogo. Isso que acabou pesando no segundo tempo da partida", opinou Iziane.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.