Técnico do Real exalta Bauru antes da final do Mundial de Basquete

Campeão europeu, o Real Madrid está de malas prontas para o Brasil, onde enfrenta o Bauru pela decisão do Mundial Interclubes de basquete. Com estrelas como Sergio Rodríguez, Rudy Fernández, Andrés Nocioni e Gustavo Ayón, os espanhóis chegam como favoritos ao título, mas o técnico Pablo Laso fez questão de enaltecer o adversário e apostou em um confronto equilibrado.

Estadão Conteúdo

22 de setembro de 2015 | 10h41

"Em linhas gerais, é uma equipe muito competitiva, com muita experiência e que te faz mudar o chip do que costuma encontrar na Europa. É normal, e teremos que nos adaptar", declarou. "Sabemos da importância que se dá ao Mundial Interclubes no Brasil desde que o Real Madrid foi campeão da Euroliga. Para nós também é importante."

O Bauru receberá o Real em duas partidas realizadas na cidade de São Paulo, ambas no Ginásio do Ibirapuera, na sexta-feira, às 21 horas, e no domingo, ao meio-dia. E Laso se mostrou conhecedor da quadra que abrigará o confronto. "Jogar ali será complicado porque é uma arena muito grande e haverá um ambiente todo deles", comentou.

Mas não é só a pressão da torcida e o tamanho da quadra no Ibirapuera que assustam o técnico madrilenho. Ele também fez questão de exaltar a equipe comandada por Guerrinha, campeã da Liga das Américas no início do ano, principalmente nomes mais conhecidos internacionalmente, como Rafael Hettsheimeir, que já atuou no basquete espanhol, e Alex, que passou pela NBA.

"É uma equipe que atira mais de três do que de dois, joga com os pivôs muito abertos, como Hettsheimeir, que já conhecemos. Buscam muitas situações de penetração para abrir a quadra. Já era sua identidade no ano passado. O time tem jogadores experientes como Alex García, Rafael Hettsheimeir, Robert Day, e dois bons armadores", avaliou.

Um dos jogadores mais conhecidos da torcida brasileira no elenco madrilenho, o ala/pivô argentino Andrés Nocioni também apostou em dificuldade para sua equipe. "Será muito mais difícil que a última temporada. Agora já chegamos com o status de campeões europeus, de quem foi imbatível a temporada, e temos que assumir a responsabilidade e saber que as outras equipes vão querer nos vencer neste momento", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.