Ezra Shaw/AFP
Ezra Shaw/AFP

'Tema a barba': Harden, em grande momento, desafia os Warriors

Ala-armador do Houston Rockets tenta virar série e continuar vivo na busca pelo seu primeiro título na NBA

Marcius Azevedo, O Estado de S.Paulo

10 de maio de 2019 | 04h30

Por falta de tempo, quando ainda estudava na Arizona State, James Harden decidiu parar de se barbear. O que surgiu por preguiça se tornou uma marca registrada que hoje vale milhões de dólares – empresas já ofereceram vários caminhões de dinheiro para ele tirá-la – e é sinônimo de temor para os adversários. Com um crossover agressivo e um arremesso letal de três pontos, o ala-armador do Houston Rockets desafia o atual bicampeão da NBA, o Golden State Warriors, para avançar à final da Conferência Oeste e posteriormente brigar pelo título da liga. 

A franquia do Texas está em desvantagem na série por 3 a 2 – o jogo 6 acontece nesta sexta-feira, no Toyota Center, em Houston –, mas, se depender de Harden, os Rockets estão vivos. O jogador de 29 anos tem médias de 31,3 pontos, 6,7 rebotes e 6,8 assistências nos playoffs, sendo 34,8 pontos, 6,6 rebotes e 5,6 assistências apenas contra os Warriors, mesmo com um problema nos olhos, sofrido no jogo 2, em um lance com Draymond Green.

Os números são uma extensão do que ele fez na temporada regular e o colocam como principal candidato para faturar pelo segundo ano consecutivo o prêmio de MVP (jogador mais valioso). Harden teve média de 36,1 pontos em 78 jogos. É o melhor desempenho ofensivo desde Michael Jordan, que registrou 37,1 pontos pelo Chicago Bulls na temporada 1986-87, sua terceira na NBA. Foram ainda 32 jogos consecutivos com pelo menos 30 pontos, perdendo apenas para o recorde de 65 jogos seguidos do lendário pivô Wilt Chamberlain. O Barba distribuiu ainda 7,5 assistências e pegou 6,6 rebotes, em 36,8 minutos por partida. 

Por tudo isso, os cartazes dos torcedores com a frase “Fear the beard”, algo como “tema a barba”, estarão presentes no Toyota Center mais uma vez. 

A temida barba começou a crescer em 2007, quando Harden estava na Arizona State. “Os dias passam rápido na faculdade e isso me fez ganhar mais tempo”, explicou, em entrevista ao programa de TV, The Starters. “Foi preguiça e meio que me acostumei.”

A barba cresceu bastante e se tornou intocável. Não à toa, Harden só deixa uma pessoa cortá-la. “Meu barbeiro”, confessou. O jogador admitiu que fica “muito nervoso” para tocar nela. “Se cortar e fazer algo errado, vou ficar chateado comigo mesmo.”

As cifras não foram reveladas, mas Harden já recebeu diversas ofertas milionárias de empresas de aparelhos de barbear para cortá-la em comerciais de TV. Nada feito. A barba continua intacta. E o bom desempenho também. 

Coincidentemente, os números foram evoluindo conforme sua barba foi crescendo. Isso começou na Arizona State, quando foi de 9,9 pontos para 12,2 no ano seguinte após adotar o visual e depois 16,8 na última temporada universitária. Selecionado no draft pelo Oklahoma City Thunder na terceira posição em 2009, Harden chegou à final da NBA em 2011-2012 e, na mesma temporada, recebeu o prêmio de melhor sexto homem. 

A transformação em astro se consolidou na troca para Houston em 2012, quando ele não quis renovar seu contrato. Longe da sombra de Russell Westbrook e Kevin Durant, o ala-armador foi evoluindo até alcançar médias de 30,4 pontos, 8,8 assistências e 5,4 rebotes e conquistar o prêmio de MVP na temporada passada.

Atualmente, Harden é dono do sétimo maior contrato da NBA. O salário na temporada 2018-2019 foi de US$ 30,5 milhões (R$ 120 milhões). No topo da lista está Stephen Curry, do Golden State, rival na série, com US$ 37,45 milhões (R$ 147,18 milhões). Em 2019-2020, o jogador do Houston vai receber US$ 38,15 milhões (R$ 149,93 milhões) e, em 2020-2021, serão US$ 40,6 milhões (R$ 159,56 milhões). 

Além disso, o astro tem um acordo de patrocínio com a Adidas por 13 anos. O contrato assinado em agosto de 2015 com a empresa alemã prevê um valor total de US$ 200 milhões (R$ 786 milhões na cotação atual), sendo US$ 15,4 milhões (R$ 60,52 milhões) por temporada.

EX-NAMORADA FAMOSA

Fora de quadra, Harden também passou oito meses na mira dos paparazzi. O jogador namorou com Khloé, uma das irmãs Kardashian. O relacionamento terminou quando ela preferiu dar atenção ao ex-marido, o também jogador Lamar Odom, que havia sofrido uma overdose. 

O astro do Houston seguiu seu caminho. Khloé casou com Tristan Thompson, pivô do Cleveland Cavaliers, se separou após uma traição do marido e, segundo informações da imprensa especializada em fofoca, estaria novamente se aproximando de Harden.

O jogador, no entanto, disse recentemente não guardar boas lembranças da situação que vivia ao lado da ex-namorada. “Eu não estava desconfortável, mas não era eu. Não preciso de fotos minhas quando estou dirigindo meu carro”, afirmou. “Quem se importa? Que sapatos eu estou usando? Quem se importa? Onde estou comendo? Quem se importa? Foi uma coisa desnecessária que eu acho que caiu para os meus companheiros de equipe. Eu tive que eliminar isso”, finalizou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.