Emanuel Kulka / CBB
Emanuel Kulka / CBB

Temporada 2021-2022 do NBB terá 17 equipes, torcida e volta do formato com time mandante

Novidades são o União Corinthians, do Rio Grande do Sul, e Rio Claro; torneio começa em 23 de outubro

Marcius Azevedo, O Estado de S.Paulo

03 de setembro de 2021 | 10h00

A temporada 2021-2022 do Novo Basquete Brasil terá 17 equipes, o maior número desde 2013-2014. O Conselho de Administração da Liga Nacional de Basquete confirmou o retorno de Rio Claro para ocupar o lugar de Campo Mourão, do Paraná, e aprovou a participação do União Corinthians, de Santa Cruz do Sul (RS), campeão do Brasileirão da Confederação Brasileira de Basketball.

Ficou definido ainda que o torneio começa no dia 23 de outubro e será disputado no formato de turno e returno, desta vez com time mandante. A fórmula de etapas sediadas, utilizada na temporada passada para minimizar os efeitos da pandemia do novo coronavírus, foi descartada. A competição também terá o retorno do público aos ginásios, faltando definir em qual momento isso irá ocorrer.  

Estreante, o União Corinthians é uma junção do Corinthians Sport Club e o Clube União e foi fundado em julho de 2015. O basquete de Santa Cruz do Sul tem tradição, sendo campeão nacional em 1994. Pela primeira vez o vencedor do torneio da CBB, considerada uma segunda divisão após o fim da Liga Ouro, vai participar do NBB.   

"É uma alegria muito grande poder estar à frente do projeto, de poder entregar isso para a comunidade de Santa Cruz do Sul e participar do NBB, a elite do basquete nacional. A comunidade está muito motivada e feliz com esse retorno e a expectativa é a melhor possível. Que possamos fazer uma bela competição e ter uma sequência de muitos anos dentro do NBB", declarou o diretor da equipe, Diego Puntel.

O número de federações representadas no NBB se mantém em oito. Além de Rio Claro e União Corinthians, Fortaleza Basquete Cearense (Ceará), Minas Tênis Clube (Minas Gerais), Unifacisa (Paraíba), Pato Branco (Paraná), Flamengo (Rio de Janeiro), Caxias do Sul (Rio Grande do Sul), Brasília e Cerrado (Distrito Federal) e Bauru, Corinthians, Mogi das Cruzes, Paulistano, Pinheiros, São Paulo e Sesi (São Paulo) vão participar da 14ª edição do torneio.

"É uma enorme satisfação ver o crescimento do NBB em cada temporada que se passa. Seguimos evoluindo dentro e fora das quadras com a contribuição dos clubes e o engajamento dos nossos fãs. Espero que seja mais uma temporada histórica e que o nosso basquete continue na direção certa", afirmou Delano Franco, presidente da LNB.

A Copa Super 8 foi mantida e vai acontecer em janeiro. O torneio mata-mata com os oito melhores colocados do primeiro turno do NBB continuará dando ao campeão uma vaga na Basketball Champions League Américas (BCLA).

Atual campeão do NBB e da Copa Super 8 com o Flamengo, o técnico Gustavo de Conti prevê bastante equilíbrio. "Sabemos que vai ser uma temporada difícil. Outros times chegaram com grande investimento e vão brigar até o fim pelo título. Trouxemos jogadores experientes, que querem fazer história mais uma vez, não só no NBB. Não vai ser fácil. A expectativa é de grandes confrontos nessa temporada e vamos trabalhar muito para conquistar cada vitória."

O São Paulo é uma das equipes que promete bater de frente com o Flamengo. Vice-campeão na última edição, o time do Morumbi foi buscar na Gávea o ala Marquinhos, além de repatriar Bruno Caboclo e tirar da aposentadoria Lucas Bebê, ambos com passagem pela NBA. Georginho e Lucas Mariano foram para Franca, outro time que promete brigar pelo título.

"Sempre que um NBB passa, o outro é mais forte, mais concorrido. Tivemos bastante mudança no mercado, alguns times se fortalecendo, outros com jogadores novos. A competição tem tudo para ser bem concorrida e disputada", afirmou Marquinhos. "Vestir a camisa do time do meu coração é a realização de um sonho para mim, e fica melhor ainda tendo a chance de brigar contra os melhores times pelo título", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.