Teto salarial da NBA vai baixar, mas não tanto quanto se imaginava

A liga espera teto aproximado de US$ 56,1 milhões, contra US$ 57,7 milhões nesta temporada

EFE

17 de abril de 2010 | 02h30

O comissário da NBA, David Stern, confirmou nesta sexta-feira que o teto salarial para a próxima temporada será menor que o da atual, mas um pouco superior às estimativas que eram especuladas nos bastidores.

Veja também:

blog BLOG BATE-PRONTO - Palpites para a primeira fase dos playoffs da NBA

A liga espera um teto aproximado de US$ 56,1 milhões (cerca de R$ 99 milhões). O valor da temporada 2009-2010 foi de US$ 57,7 milhões (quase R$ 102 milhões). Será a terceira vez que o limite vai baixar de um ano para o outro.

Durante a pré-temporada, houve informações da própria liga que dariam conta de que os valores poderiam ficar entre US$ 50,4 milhões (R$ 89 milhões) e US$ 53,6 milhões (R$ 94,6 milhões).

O número exato será divulgado no início de julho, a tempo de as equipes fazerem as contratações. Ao final desta temporada, haverá um grande número de jogadores considerados "agentes livres", incluindo algumas estrelas.

"Está bastante claro que as projeções de receita que temos, embora não sejam tão boas quanto as do ano passado, não descerão tanto como temíamos ao início da temporada", justificou Stern.

Tudo o que sabemos sobre:
NBADavid Sternsalários

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.