Time feminino conquista Ribeirão

Os moradores de Ribeirão Preto estão acostumados a ver o basquete masculino do COC brilhar: o time é tetracampeão paulista. Mas ultimamente quem tem roubado a cena na cidade é o time feminino, que disputa pela primeira vez a série A-1 do Paulista e está na final em melhor-de-cinco contra Ourinhos, campeão paulista e brasileiro.O Clube Verdade/Ribeirão Preto foi montado há quatro meses pela técnica Tereza Cristina da Costa Freitas, a "Tininha". Nos últimos dez anos que disputou a Série A-2, o time esteve entre os quatro primeiros. "Depois da conquista da vaga na Primeira Divisão, montei um time jovem e veloz. As meninas só precisavam de uma oportunidade", diz Tininha, que observa: a vaga na final deixou a cidade em polvorosa. "As meninas já são reconhecidas nas ruas, as pessoas se interessam pedem autógrafos. É muito gratificante. A euforia aumentou depois da eliminação do COC do Nacional (parou na semifinal). O time feminino ganhou força."A caçula da equipe é a lateral Tayara Pesenti, 22 anos. Ex-jogadora de Juiz de Fora, foi contratada por Ribeirão Preto. É a cestinha do campeonato mas não sabe sua média de pontos: "20 e poucos..." Com pouca verba, a competição não teve estatísticas de seus oito times da primeira fase.Tayara foi convocada para a Seleção brasileira Adulta pela primeira vez pelo técnico Antônio Carlos Barbosa. Vai ao 30º Sul-Americano, na Colômbia, de 6 a 12 de julho. Foram chamadas 28 jogadoras para as 12 vagas - Tayara e Sílvia Cristina (ala, também de Ribeirão) se juntam ao grupo após a final do Paulista."Vim para o Paulista fazer meu papel e a convocação à Seleção foi conseqüência disso", disse Tayara. "Estou muito feliz. Vou brigar por um espaço na Seleção." Na lateral, ela disputa vaga com Micaela, Silvinha, Lílian e Janeth. "Não será fácil, mas quero mostrar meu trabalho."A carreira de Tayara começou em Caieiras, município de São Paulo, quando tinha 13 anos. Seis anos depois foi contratada por um time de Jundiaí e depois foi para Juiz de Fora - o time foi penúltimo no Nacional/2004.Aloísio Ferreira, o "Lula", secretário de Esportes da cidade além de técnico do COC/Ribeirão Preto e da Seleção Brasileira Masculina, está "muito satisfeito" com o desempenho da equipe. "Tenho dado conselhos às meninas, que estão fazendo um trabalho belíssimo. Além de boas jogadoras, são muito queridas", conta Lula, que tem ido a todos os jogos. Quem também não perde um jogo é o armador Nezinho, do COC. Ele tem duas primas na equipe: Geisa e Sílvia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.