Tristeza e desmanche fazem Oscar parar

A "tristeza" por terminar em 7º lugar, a pior classificação em um Brasileiro desde que voltou da Europa há seis anos, e o "desmanche" do Flamengo ajudaram Oscar Schmidt a anunciar a aposentadoria para 2002. "São nos momentos de tristeza suprema que decidimos essas coisas, como agora", revelou o maior jogador do basquete nacional. Oscar ainda vai disputar a próxima temporada pelo Flamengo. "Esse clube assinou comigo um contrato por três anos quando eu tinha 41. Não tenho mais onde jogar. Vou devolver a honra encerrando a minha carreira aqui", disse o jogador que, aos 43 anos, tem no currículo a disputa de cinco olimpíadas e 46.522 pontos marcados.Oscar vai tirar férias - retoma os treinos em agosto -, mas já sabe que o Flamengo será uma equipe com orçamento reduzido. Apenas ele e o armador Rato renovaram contrato. O time poderá ser dirigido por Miguel Ângelo da Luz e está procurando jogadores que moram no Rio para economizar, inclusive, com aluguel.

Agencia Estado,

01 de junho de 2001 | 18h18

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.