Eric Gay/AP - 28/08/2010
Eric Gay/AP - 28/08/2010

Turquia cancela suspensão de Diana Taurasi por doping

Entidade disse que laboratório reavaliou sua conclusão após declarações de defesa da atleta

AE-AP, Agência Estado

16 de fevereiro de 2011 | 12h40

A Federação de Basquete da Turquia cancelou nesta quarta-feira a suspensão provisória por doping da estrela norte-americana Diana Taurasi, depois que um laboratório reviu a sua conclusão de que ela teria dado positivo em um exame. A entidade disse que o laboratório reavaliou sua conclusão depois de ter "avaliado" declarações de Taurasi em sua defesa. A federação não disse diretamente se o laboratório cometeu um erro.

A federação explicou que Taurasi está livre para continuar jogando na Liga de Basquete da Turquia, numa decisão que também deverá renovar suas chances de jogar pela seleção dos Estados Unidos na Olimpíada de Londres, em 2012. "A federação decidiu levantar a punição cautelar imposta a jogadora Diana Lorena Taurasi para evitar que o clube e a jogadora sejam lesados por isso", disse a federação turca em um comunicado oficial.

Taurasi, que insistiu que ela nunca usou substâncias proibidas para melhorar o desempenho, teve seu contrato rescindido pelo clube turco Fenerbahce no mês passado, após o laboratório revelar que ela testou positivo para modafinil em dezembro. Não está definido se ela voltará ao País.

Taurasi pretende regressar à WNBA - a liga norte-americana de basquete - quando a temporada começar em junho. A jogadora do Phoenix Mercury foi a maior pontuadora do campeonato nas últimas quatro temporadas e assinou uma prorrogação do seu contrato em agosto de 2010.

A decisão desta quarta-feira permite a participação de Taurasi na próxima Olimpíada. O Comitê Olímpico Internacional proíbe qualquer atleta que for suspenso por seis meses ou mais por doping de participar da Olimpíada seguinte. Taurasi ajudou a seleção dos Estados Unidos a ganhar medalhas de ouro nos dois últimos Jogos Olímpicos e foi a cestinha do último Campeonato Mundial, disputado em 2010, também vencido pelas norte-americanas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.