Uniara busca outra vitória contra COC

O COC/Ribeirão Preto poderia ter conquistado o inédito título paulista de basquete masculino, diante de sua torcida, mas o tropeço, por 99 a 77 (42 a 32 no primeiro tempo), ontem, no Ginásio da Unicoc, provocou o quarto jogo contra a Uniara/Fundesport, amanhã, às 20h30, no Gigantão, em Araraquara. O time dirigido por Antônio José Paterniani, o Tom Zé, no entanto, precisa vencer novamente para levar o play-off final para o desempate numa quinta e última partida, na segunda-feira (21), em Ribeirão Preto. "Estamos pensando apenas no quarto jogo, que, para nós é decisivo, o que não ocorre com o COC, que ainda teria outra chance; portanto, é tudo ou nada", diz Tom Zé, acreditando que a torcida araraquarense voltará a apoiar maciçamente seu time, como no domingo (13). No primeiro jogo, entretanto, a Uniara fracassou, por 83 a 68. Na terça-feira (15), em casa, o COC voltou a vencer, por 75 a 68. As vitórias animaram o COC e a torcida ribeirão-pretana, que esperavam terminar a competição ontem (16). Porém, o time dirigido por Aluísio Ferreira, o Lula, atuou mal. "Tivemos uma performance tecnicamente fraca, com ataque ineficiente e defesa mal nos rebotes, além de que a Uniara produziu mais", comentou Lula. Ele disse que é difícil manter uma uniformidade de atuação, num play-off, em dois dias seguidos. "Nossos jogadores também são novos e existia a ansiedade pelo título inédito e diante da torcida." Apesar de jogar como visitante, Lula acredita que o COC joga melhor sob pressão. "A obrigação é transformar a adversidade num fator positivo." Tom Zé diz que a superação foi a palavra de ordem para os jogadores da Uniara ontem. Ele considerou importante, pelo menos, levar outro jogo decisivo para Araraquara, que voltou a respirar basquete hoje, com intensa procura por ingressos. "A população está orgulhosa com a equipe", diz o treinador. O COC pretende evitar um quinto jogo e comparações com a decisão do brasileiro de 1998, quando também vencia Franca por 2 a 0, e com vantagens, e perdeu, de virada. O ala Renato estava naquele time. Lula cita vários play-offs aos jogadores e motiva-os. "O que interessa é ser campeão, não como foi a conquista, com quantos jogos..."

Agencia Estado,

17 de janeiro de 2002 | 15h53

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.