Vasco confirma W.O., não entra em quadra e Flamengo é campeão carioca de basquete

Clube alegou falta de segurança na partida, no ginásio da Tijuca

Estadão Conteúdo

06 de dezembro de 2016 | 22h33

Horas mais cedo, o presidente do Vasco, Eurico Miranda, havia anunciado que o time de basquete masculino não entraria em quadra à noite para enfrentar o Flamengo, no ginásio da Tijuca, no Rio, pelo terceiro e último jogo da decisão do Campeonato Carioca. Dito e feito. Às 21 horas, nada dos jogadores vascaínos e no horário que deveria marcar o início da partida, os árbitros começaram uma contagem regressiva de 15 minutos de tolerância.

O tempo passou a ser contado no placar eletrônico. Nos últimos segundos, a torcida flamenguista presente no ginásio fez uma contagem regressiva e comemorou a taça. O time rubro-negro foi declarado campeão estadual - foi o 44.º título do Flamengo, sendo o 12.º consecutivo.

Depois de diversas críticas à Federação de Basquete do Estado do Rio de Janeiro (FBERJ) nos últimos dias, o Vasco divulgou nota na tarde desta terça-feira para anunciar que não entraria em quadra para a disputa da terceira partida da decisão do Estadual. No documento assinado por Eurico Miranda, o clube apontou irregularidades.

Eurico Miranda deu alguns motivos para impedir que sua equipe entre em quadra. A principal questão é de segurança. Isso porque o Flamengo teria torcida única no ginásio do Tijuca, situação bastante semelhante à da quinta-feira passada, quando integrantes de organizadas do time e do Vasco se enfrentaram em uma briga nas cercanias do ginásio. Na ocasião, os rubro-negros duelavam contra a Liga Sorocabana pelo NBB.

O presidente vascaíno repetidamente pediu a alteração do local da decisão, mas recebeu a negativa do mandatário da FBERJ, Álvaro Lionides. "Lamento mais ainda quando vossa senhoria insere triste justificativa para o fato, dizendo que o evento entre as torcidas não teria acontecido no interior do ginásio e sim nas imediações do mesmo E daí, senhor presidente? Vossa senhoria sente-se seguro no ginásio assim mesmo?", questionou Eurico Miranda.

Inicialmente, o Flamengo não deveria ter torcida na decisão, uma vez que foi punido por uma briga entre organizadas do clube no confronto com o Vasco no primeiro turno, mas recorreu da decisão e conseguiu o efeito suspensivo. A Polícia Militar do Rio de Janeiro, então, determinou que o duelo desta terça-feira deveria acontecer com torcida única, por questões de segurança. Como o Flamengo era o mandante do confronto, somente rubro-negros poderiam ir ao ginásio do Tijuca.

"Entendo que havendo bom senso de todos e para que não se manchasse o título do Estadual, esta federação deveria ter reunido os clubes e efetivado uma forma equilibrada e segura para o desfecho do campeonato", escreveu Eurico Miranda. "Assim, senhor presidente, apesar de todo o investimento feito pelo Vasco, ratificamos que abrimos mão da partida final".

No comunicado, o presidente vascaíno ainda reclamou do processo de venda de ingressos, uma vez que o clube já havia comunicado que não participaria da decisão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.