Violência no Rio afeta time de basquete da Mangueira

Time carioca realizou apenas dois treinamentos antes da partida contra o Ourinhos Basquete

AE, Agência Estado

26 de novembro de 2010 | 15h15

A onda de violência e o clima de insegurança que tomaram conta da cidade do Rio de Janeiro afetam a rotina do cidadão carioca e também o esporte local. Depois de derrotar o São Caetano/Unip na segunda-feira, a equipe Mangueira/Petrobrás teve a sua preparação para o próximo jogo da Liga de Basquete Feminino prejudicada. No sábado, a Mangueira encara o Ourinhos Basquete fora de casa, em partida válida pela quinta rodada, mas realizou apenas dois treinamentos para este jogo.

"Não foi preciso trabalhar o lado psicológico, aquela coisa de segurar a empolgação das meninas, porque infelizmente estamos enfrentando esse problema de segurança aqui no Rio. A gente só conseguiu treinar duas vezes essa semana, justamente porque várias atletas não tiveram condições de comparecer. Ontem foi bem complicado", explicou o técnico Guilherme Vos.

A Mangueira realiza campanha razoável na primeira edição da Liga de Basquete Feminino. A equipe carioca disputou quatro partidas pela primeira fase do torneio, com duas vitórias e duas derrotas, ocupando a quarta colocação.

Tudo o que sabemos sobre:
basqueteMangueiraRioviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.