WNBA prejudica ainda mais a seleção

Só na Austrália, quando já estiver jogando o último quadrangular amistoso e preparatório para o Mundial da China, o técnico Antônio Carlos Barbosa terá a seleção brasileira feminina de basquete completa. Isso significa dizer às vésperas da competição, de 14 a 25 de setembro. Helen, no Washington Mystics, e Érica, no Los Angels Sparks, disputam o playoff decisivo da WNBA e não serão liberadas a tempo de viajar com a equipe, dia 31. Mas Barbosa teve uma boa notícia nesta quarta-feira: o time de Janeth, o Houston Comets, perdeu para o Utah Starzz (75 a 72) na terça-feira e está fora do playoff. Janeth, a principal estrela do Brasil, pode se integrar antes à seleção. Até segunda-feira, estarão com o time as armadoras Claudinha e Adrianinha, a ala Iziane e as pivôs Cíntia, Alessandra e Kelly ? todas estavam no exterior. ?Vamos tentar administrar o problema?, diz Barbosa, que treina a seleção em Americana. A preocupação do técnico é com a condição heterogênea do grupo. ?Se todas viessem com o mesmo padrão técnico e físico seria fácil dar padrão de jogo. O grupo se conhece. Mas a Claudinha quase não jogou na WNBA e a Janeth não saiu da quadra. Não sei como cada uma está.?

Agencia Estado,

21 Agosto 2002 | 18h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.