Divulgação
Divulgação

Zanon contém euforia após vitória do Brasil no basquete

Seleção feminina derrota o México por 97 a 45 na Copa América e vai às semifinais

AE, Agência Estado

26 de setembro de 2013 | 11h08

XALAPA - A seleção brasileira feminina de basquete bateu o México com facilidade, por 97 a 45, em Xalapa (MEX), na noite da última quarta-feira, para avançar às semifinais da Copa América como líder do Grupo B. Foi o quarto triunfo em quatro jogos da equipe na competição que dá três vagas ao Mundial de 2014, na Turquia. Com isso, o Brasil lutará para assegurar seu lugar no importante torneio nesta sexta-feira, às 22 horas (de Brasília), quando enfrentará Cuba em uma das semifinais em solo mexicano.

Embora o objetivo principal pareça estar próximo de ser conquistado, o técnico Luiz Augusto Zanon conteve a euforia e lembrou que a seleção precisa confirmar essa tendência. "Estou muito contente, mas ainda não fizemos nada. A partir de uma próxima vitória começamos a pensar um pouco mais na sequência do campeonato. Agora, estamos focados e objetivados na vaga do Mundial", enfatizou o comandante.

Com a classificação às semifinais conquistada por antecipação, Zanon aproveitou o jogo desta quarta-feira para testar jogadoras mais jovens do grupo da seleção que foi até o México. E o treinador enfatizou a importância que esse duelo diante das mexicanas teve para dar bagagem para estas atletas.

"O jogo de hoje (quarta) foi muito legal dentro do processo de reformulação da equipe, em que temos de colocar todas as atletas que possuem menos experiência para jogar. Elas mostraram boas ações e um ótimo comportamento durante toda a partida, não só quando o jogo já estava decidido. As rotações aconteceram sem diminuir o rendimento do grupo. Levamos essa partida sem se preocupar com o placar. É de extrema importância que essa rodagem dê maturidade para essas meninas mais novas, pois pretendemos contar cada dia mais com essas jogadoras", ressaltou.

Cestinha do confronto diante das mexicanas, com 15 pontos, a ala Patrícia Ribeiro, de 22 anos, festejou o seu desempenho e de todo time brasileiro. "Como toda equipe, entrei bastante confiante no jogo e consegui realizar uma boa partida. Acho que devemos destacar mais uma vez a união do grupo que tem sido o ponto forte do nosso time em todos os jogos que disputamos. Contra o México entramos com tudo e o jogo fluiu bem, com o técnico rodando bastante as meninas do banco e dando a oportunidade de jogar para todas. Estamos muito felizes com tudo que conquistamos até aqui. Agora, vamos voltar nossas atenções para o próximo desafio, que é Cuba na semifinal", disse a jogadora.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.