Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE
Nilton Fukuda/Etadão
Nilton Fukuda/Etadão

Dunga espera Neymar 'padrão Barcelona' na seleção brasileira

Treinador confia que atacante mostrará seu futebol do Barça

Raphael Ramos, enviado especial a Buenos Aires, O Estado de S. Paulo

14 de novembro de 2015 | 17h17

Dunga conta com uma atuação "padrão Barcelona" de Neymar contra o Peru, terça-feira, em Salvador, para a seleção brasileira não passar sufoco na Fonte Nova e confirmar o seu amplo favoritismo sem sustos. O treinador reconheceu que o craque ficou devendo no empate por 1 a 1 com Argentina, sexta-feira, e espera que o atacante compense o desempenho discreto no Monumental de Núñez com uma atuação de destaque diante dos peruanos pela 4.ª rodada das Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018.

Estrela solitária da seleção, Neymar voltou à equipe depois de cumprir suspensão de quatro jogos imposta pela Conmebol por causa da expulsão contra a Colômbia na Copa América – neste intervalo ainda defendeu a equipe em dois amistosos nos Estados Unidos. Para Dunga, o craque sentiu a falta de entrosamento com o restante da equipe, o que, na visão do treinador, deve ser compensado até o jogo de terça-feira.

O brasileiro vive no Barcelona a melhor fase da carreira e se apresentou à seleção depois de marcar dez gols em oito jogos pelo clube catalão. Pelo Brasil, no entanto, ele não conseguiu manter o bom desempenho que vinha tendo no Barça.

"Neymar jogou coletivamente. Talvez não tenha feito aquelas jogadas que a gente está habituado a ver no Barcelona por causa da forte marcação da Argentina. Teve alguns lampejos bons e a tendência é melhorar. Ele ficou um bom tempo fora da seleção e o entendimento com os companheiros demora um pouquinho. No próximo jogo, seguramente, será bem melhor", disse Dunga após o empate em Buenos Aires.

O desafio de Dunga nos dois treinos que a equipe realizará hoje e amanhã em Salvador antes de enfrentar o Peru será encontrar o posicionamento onde Neymar poderá render mais. A programação inicial previa três treinos na capital baiana, mas teve de ser encurtada devido ao adiamento do jogo com a Argentina para sexta-feira. Diante da Argentina, enquanto o seleção atuou com um centroavante (Ricardo Oliveira), o craque ficou apagado pelo setor esquerdo do ataque. Na etapa final, com Douglas Costa em campo, Neymar jogou mais solto e centralizado. Assim, mesmo sem ser brilhante, conseguiu fazer algumas jogadas individuais, além de tabelas com os companheiros.

Dunga ainda não escolheu qual sistema ofensivo montará diante do Peru. A tendência é que o treinador faça mistério e revele a escalação somente momentos antes da partida. "Às vezes o jogo não se encaixa com determinado jogador, com determinada característica. Depende da partida", despista o treinador.

Um mudança já é certa. O zagueiro David Luiz terá de cumprir suspensão após ser expulso contra a Argentina e será substituído por Gil. O corintiano formará dupla com Miranda.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.