Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

4 anos depois, colombiano que tirou Neymar da Copa se aposenta por lesão no joelho

Zúñiga, que causou a fratura no atacante que o tirou do Mundial no Brasil, anuncia adeus aos gramados por grave contusão

O Estado de S.Paulo

04 Julho 2018 | 17h06

Em 4 de julho de 2014, o lateral-direito Camilo Zúñiga acertou o joelho direito nas costas de Neymar, causou uma lesão na terceira vértebra do craque brasileiro e o tirou da Copa do Mundo de 2014. Exatos quatro anos depois, o jogador colombiano anunciou a aposentadoria dos gramados por conta de uma lesão crônica no joelho direito.  

+ Sérvio que apitou final da Liga dos Campeões será árbitro de Brasil x Bélgica

+ Quais seleções mais se destacaram na Copa do Mundo até o momento?

+ Willian descarta chance de questão física afetar a seleção na reta final da Copa

Zúñiga não foi convocado para defender a Colômbia na Copa do Mundo da Rússia, mas revelou a decisão de pendurar as chuteiras no dia seguinte da eliminação da seleção de seu país para a Inglaterra nos pênaltis, por 4 a 3, nas oitavas de final.

O jogador de 32 anos teve como último clube na carreira o Atlético Nacional, que o revelou para o futebol em 2005. Ele foi contratado no início do ano, na tentativa de recuperar o problema crônico. "Foram muitos anos sofrendo, tratando de voltar bem. Mas só eu que sentia as dores. Para treinar precisava tomar anti-inflamatórios e injeções", afirmou o jogador ao site oficial do clube colombiano.  

Em sua segunda passagem, Zúñiga disputou apenas cinco partidas. "Sinto que cheguei a 40% do que jogava, mas cumpri meu sonho de retornar a este clube. Estou tranquilo por me aposentar em casa, onde me deram a oportunidade de mostrar meu futebol e que me levou para a Europa", afirmou. 

Em 2008, Zúñiga foi negociado com o Siena, da Itália, onde permaneceu por uma temporada. No ano seguinte, foi contratado pelo Napoli, onde permaneceu até o fim de 2017. Nesse período, chegou a ser emprestado ao Bologna, em 2016, e ao Watford, da Inglaterra, em 2016/2017.

 

"Hoje penso mais em meu futuro, na minha família. É melhor parar agora, para que no dia de amanhã, consiga ir ao parque correr com meus filhos", disse. "Todos sabemos os problemas do joelho. Em dez, 11 anos seria um problema que realmente iria me incomodar", afirmou.

Pela Colômbia, Zúñiga disputou 62 partidas oficiais. Foram 25 participações nas Eliminatórias Sul-Americanas, 24 amistosos, 8 duelos em Copa América e quatro jogos na Copa do Mundo do Brasil. Nas quartas de final, perdeu por 2 a 1 para a seleção brasileira na melhor campanha colombiana em Mundiais.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.