Cesar Greco/Agência Palmeiras
Cesar Greco/Agência Palmeiras

5 desafios para o Palmeiras voltar ao G-4 no Brasileirão

Diminuir a dependência da jogada aérea é uma tarefa da equipe

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

09 de outubro de 2015 | 11h00

O Palmeiras tem nove jogos para recuperar a vaga no G-4, perdida na última rodada do Campeonato Brasileiro, e buscar o título da Copa do Brasil. Depois da ascensão em três jogos (Fluminense, Grêmio e São Paulo), além de

duas boas apresentações contra o Inter pela Copa do Brasil, a equipe sofreu uma goleada diante da Chapecoense e voltou a se preocupar com a instabilidade, principalmente da defesa. Para recuperar o viés de alta, o Palmeiras terá cinco tarefas nas próximas semanas:

1. Superar as lesões dos volantes

Além de perder o volante Gabriel, que só voltará no ano que vem após cirurgia no joelho direito, o técnico Marcelo Oliveira também não terá Arouca por tempo indeterminado. Também com problemas no joelho, Arouca deverá perder os jogos da semifinal contra o Fluminense. Thiago Santos não poderá atuar na Copa do Brasil. O treinador poderá apostar nos reservas Amaral e Girotto ou escalar Zé Roberto na posição. Em alguns jogos, ele improvisou o lateral Lucas. A posição é importante para proteger os zagueiros.

2. Recuperar Gabriel Jesus

Depois de uma fase exuberante, em que fez gols e deu assistências, Gabriel Jesus está em baixa. O clássico contra o São Paulo, segundo o próprio jogador, foi seu pior jogo pelo Palmeiras. Contra o Inter, teve participação discreta e foi substituído. O treinador deu um voto de confiança e disse que ele não precisa se cobrar ótimas atuações em todas as partidas. O atacante está convocado para a seleção olímpica e vai atuar contra República Dominicana, dia 9, e Haiti, dia 12, em Manaus.

3. Diminuir a dependência da bola aérea

Após a goleada para a Chapecoense, o treinador reclamou que o time joga muito pelo alto e tem de colocar a bola no chão para trabalhar melhor os ataques. "Não é uma recomendação de jogo", disse o treinador. Essa é a principal tarefa do período de dez dias sem jogo pelo Campeonato Brasileiro. Embora o Palmeiras seja o time que mais gols faz pelo alto, os treinos vão focar a posse de bola e a troca rápida de passes. É preciso variar as jogadas.

4. Criar mais opções no meio

Em fase de recondicionamento físico, Cleiton Xavier, que sentiu a panturrilha quando se recuperava de uma lesão na coxa, ainda não tem previsão de retorno. Fellype Gabriel, que não participa de uma partida profissional desde agosto do ano passado, tem sido relacionado, mas ainda não estreou. Os dois jogadores podem dar nova dinâmica ao meio e variar algumas jogadas que já estão marcadas pelos rivais.

5. Corrigir os altos e baixos da defesa

Depois de testar quase todas as opções na defesa em 2015, o treinador definiu a dupla de zaga titular do Palmeiras com Jackson e Vitor Hugo. A goleada sofrida diante da Chapecoense reacendeu o alerta. A equipe continua oscilando e tendo apagões. Dois gols foram sofridos em jogadas pelo alto. O Palmeiras está entre as zagas mais vazadas do torneio.  

Tudo o que sabemos sobre:
FutebolBrasileirãoPalmeiras

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.