A contagem regressiva de Ceni: gol da vitória em 'despedida'

Goleiro marca em último jogo do time no palco de conquista histórica

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

13 de junho de 2015 | 19h00

Em um sábado de Carnaval em 2013, a poucos dias da estreia na fase de grupos da Copa Libertadores, o São Paulo escalou muitos reservas para enfrentar o Guarani, em Campinas, pelo Campeonato Paulista. Somente o goleiro Rogério Ceni pediu para jogar e fez a diferença naquele que foi o último encontro entre as equipes e a derradeira da partida do Tricolor no histórico estádio do Brinco de Ouro da Princesa.

A atuação com gol de falta e como melhor em campo naquela tarde integra a série especial do Estado que conta as partidas marcantes do goleiro, que deve se aposentar no fim do ano. A cada partida do São Paulo em 2015 será lembrada uma participação marcante do ídolo são-paulino, que tem mais de 1,2 mil jogos pelo clube.

De toda a rica história de Rogério Ceni, o confronto com o Guarani não valeu título, embora tenha colocado o São Paulo na liderança daquele Estadual e uma despedida do estádio onde o clube ganhou o título brasileiro de 1986. Neste ano, o Brinco de Ouro da Princesa foi leiloado e desde aquele encontro, o Tricolor não enfrentou mais o Guarani.

Naquela partida Ceni voltou a marcar de falta depois de seis meses. O jogo começou com um gol de Aloísio, o "Boi Bandido", ainda no primeiro tempo. O Guarani conseguiu empatar no segundo tempo, com Thiago Gentil, quando o São Paulo já estava com um jogador a menos - Cañete foi expulso.

O jogo ficou equilibrado e sobrou para Rogério Ceni decidir. O árbitro marcou o toque de mão de um defensor e o são-paulino se apresentou para cobrar e converter a gol de foram diferente. Em vez de chutar por cima da barreira, o capitão preferiu surpreender o goleiro e colocar a bola no mesmo canto onde estava Juliano.

FICHA TÉCNICA

GUARANI 1 X 2 SÃO PAULO

9/2/2013 - CAMPEONATO PAULISTA

GUARANI: Juliano; Tiago Pagnussat, Thiago Mathias e Max (Juan Cominges); Oziel, Ademir Sopa, Mika (Coutinho), Thiago Gentil (Dudu) e Diogo; Ronaldo Mendes e Siloé. Técnico: Branco.

SÃO PAULO: Rogério Ceni; João Filipe, Rafael Toloi, Edson Silva e Carleto; Rodrigo Caio, Maicon (Fabrício) e Paulo Henrique Ganso (Lucas Farias); Cañete, Ademílson e Aloísio (Henrique Miranda). Técnico: Ney Franco.

Gols: Aloísio, aos 33 minutos do primeiro tempo. Thiago Gentil, aos 27 segundos, e Rogério Ceni, aos quatro minutos do segundo tempo

Tudo o que sabemos sobre:
São Paulo FCRogério Cenifutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.