A difícil afirmação do negro no futebol

Estádio do Vasco lotado, 50 mil pessoascomprimidas nas arquibancadas. Para a surpresa do presidente daRepública, Washington Luís, todos estavam em pé, saudando-o comaplausos, antes do início do jogo entre seleções do Rio e SãoPaulo. Era uma tarde de 1927 e tudo corria bem até que ospaulistas decidem abandonar o campo, revoltados com a marcaçãode um pênalti. Irritado, o presidente manda um oficial degabinete descer ao campo, ordenando o reinício da partida.Feitiço, mulato disfarçado, dá o recado de cara amarrada: odoutor Washington podia mandar lá em cima, mas cá embaixo quemmandava era ele. E comandou a saída dos jogadores. O presidente,ofendidíssimo, não teve outro remédio senão ir embora.Leia mais no Estadão

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.