Rubens Chiri/Divulgação
Rubens Chiri/Divulgação

A dois meses do adeus, Ceni diz que não pensa no fim da carreira

Goleiro do São Paulo evita projetar como será a aposentadoria

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

06 de outubro de 2015 | 10h00

A proximidade da aposentadoria do futebol, prevista para dezembro, faz o goleiro Rogério Ceni, do São Paulo, evitar pensar que a carreira está perto do fim. Em entrevista coletiva nesta segunda-feira, o jogador de 42 anos revelou que o momento do adeus será muito complicado para ele.

Caso o time chegue à final da Copa do Brasil, Ceni terá mais 13 jogos como atleta e então, vai encerrar uma carreira de 25 anos no São Paulo. "Até hoje não parei para pensar, mas acredito que será muito sofrido e doloroso (parar de jogar). Tenho 42 anos, 25 percorrendo o mesmo caminho. Por isso, procuro não pensar nisso nesse momento. Sei que uma hora vai chegar", afirmou.

Ceni participou nesta segunda-feira de evento em São Paulo para lançamento de uma linha especial de relógios em comemoração aos seus 25 anos no clube. O jogador de 42 anos é homenageado nos produtos, que tem três modelos diferentes, todas em dedicatória a momentos dele no time.

O goleiro disse que por ter mais de 1,2 mil jogos na carreira, é melhor não pensar que faltam tão poucos compromissos para encerrar a carreira. "Tento viver sem pensar nisso. Vou deixar para ficar triste quando chegar realmente o final, o início de dezembro. É muito pesado carregar isso por mais dois meses".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.