'A Espanha tinha que ser campeã do mundo', diz Casillas

Cinco meses depois de conquistar a Copa do Mundo da África do Sul, o goleiro Iker Casillas voltou a exaltar o brilhantismo da seleção espanhola. O jogador do Real Madrid ainda sentenciou: o título mundial ficou em mãos merecidas.

AE, Agência Estado

31 de dezembro de 2010 | 10h06

"Foi um privilégio enorme ser o primeiro a poder levantar a tão ansiada taça", afirmou o capitão da seleção ao Marca. "Foi um prêmio merecido para um time competitivo e brilhante, tanto dentro quanto fora de campo, e que sempre confiou em suas possibilidades. A Espanha tinha que ser campeã do mundo".

Apesar de exaltar a seleção espanhola, Casillas contou que viveu dias de pavor na Copa, especialmente após a derrota na estreia para a Suíça. "Foram semanas difíceis para todos. Nunca passei tanto nervoso como no dia de enfrentar Honduras", lembrou o goleiro, referindo-se ao jogo da segunda rodada, vencido pelos espanhóis por 2 a 0.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolReal MadridIker Casillas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.