'A esperança é a última que morre', diz Roberto Carlos

Roberto Carlos sabe que o Corinthians está em situação complicada na luta pelo título do Campeonato Brasileiro. Contudo, não joga a toalha e acredita que o inesperado pode acontecer na última rodada, neste domingo. "Vai ser um milagre se nós ganharmos [do Goiás] e o Guarani conseguir ganhar pontos do Fluminense. Só que a esperança é a última que morre".

RAFAEL VERGUEIRO, Agência Estado

03 de dezembro de 2010 | 19h56

O lateral-esquerdo diz já ter passado por várias situações semelhantes, e não se surpreenderá se mais uma vez acontecer algo diferente do que a maioria está esperando. "Futebol é um jogo e são 90 minutos. Já aconteceram tantas coisas neste esporte na minha vida que se no domingo acontecer de novo será mais uma".

Mesmo com o Guarani já rebaixado para a Série B, ele acredita que os jogadores vão se esforçar muito. "Se eu fosse atleta do Guarani, daria o máximo nesta partida, todo mundo vai estar olhando. O jogador que fizer um gol importante pode estar em um time grande no ano que vem. É o jogo mais importante do ano para eles".

Como os confrontos em Goiânia e no Rio de Janeiro acontecerão no mesmo horário (às 17 horas), Roberto Carlos não esconde que, mesmo dentro de campo, estarão atentos ao placar do outro confronto. E tem uma estratégia para pressionar os cariocas. "O bom seria a gente fazer o gol antes deles [do Flu], porque aí as pernas dos jogadores lá iriam tremer um pouquinho, ficariam sabendo que naquele momento estão atrás na tabela".

No entanto, mesmo se o título não vier, o veterano afirma que avaliará como positiva a temporada 2010, quando retornou ao futebol brasileiro após 15 anos. "O ano foi ótimo, não em relação a títulos, mas ao ambiente, o trabalho. Mas certamente vamos fechar com chave de ouro no domingo e depois a gente lamenta se o troféu não vier".

PONTOS PERDIDOS - Na avaliação de Roberto Carlos, o Corinthians deve lamentar os pontos perdidos no Pacaembu e o empate por 1 a 1 com o Vitória, em Salvador, na antepenúltima rodada. "Perdemos do Grêmio e do Atlético-GO em casa, estes pontos agora nos fazem muita falta. E contra o Vitória pressionamos muito, Iarley, Danilo e Elias tiveram chances de gol, mas a bola não queria entrar naquele jogo, uma pena".

Para o lateral, o elenco ficará em dívida com a torcida corintiana, caso não fique com o título. "Se não ganharmos o campeonato, ficaremos devendo em 2010. Mas o torcedor sabe que honramos demais este escudo e não ganhamos por pouco. Na Libertadores, por exemplo, só perdemos um jogo e caímos fora".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.