Daniel Augusto Jr. / Corinthians
Daniel Augusto Jr. / Corinthians

'A grande mudança é comportamental', diz técnico interino do Corinthians

Dyego Coelho, treinador do sub-20, dirige o time diante do Fortaleza; são oito jogos sem vitória

Redação, O Estado de S.Paulo

05 de novembro de 2019 | 15h54

Enquanto acerta os detalhes para a chegada de Tiago Nunes, o Corinthians vai mudar de comportamento na partida diante do Fortaleza, nesta quarta-feira, em Itaquera. Isso é o que promete Dyego Coelho, treinador da equipe sub-20 e que vai dirigir o time interinamente no Campeonato Brasileiro até a definição do novo treinador – o clube discute se ele virá imediamente ou apenas no fim da temporada.

"A grande mudança é comportamental. Precisa mudar o mais rápido possível. Sobre jogadores, vamos definir agora. Mas é aquilo que sempre falo: o comportamento te dá algumas situações que você precisa mudar, dentro de campo. Perdeu a bola, tem que ter comportamento. Falta um comportamento melhor. Treinamos ontem e já deu para perceber mudança”, afirmou Coelho.

O Corinthians não vence há oito rodadas. Com isso, a equipe despencou para a oitava posição no Campeonato Brasileiro. Hoje, estaria fora da zona de classificação para a Libertadores. "A situação que eu procuro fazer desde que sou treinador é agressividade, comportamento, luta, taticamente fazer com o que time jogue, sufoque o adversário e isso não é fácil. É preciso ter tempo. Aos pouquinhos, vamos chegando. A gente não sabe tudo. Queremos a vitória e vamos conseguir com trabalho”, disse o treinador das categorias de base do Corinthians.

Coelho afirmou que o grupo do Corinthians está preocupado e chateado com a sequência de jogos sem vitória, especialmente a goleada sofrida diante do Flamengo. "Encontrei um grupo preocupado. Estão chateados com a situação. Conversei com alguns, o treino que fizemos mostra o que eu pedi para eles. Encontramos grupo chateado, vindo de um jogo chato. Mas passou, são grandes jogadores, são homens. Precisam ser respeitados aqui dentro. Estão com vontade de dar a volta por cima."

Coelho disse que pode trazer alguns garotos da equipe júnior para participar da reta final da temporada. Além disso, ele se diz pronto caso a diretoria decida apostar nele para 2020.

“Sou funcionário do clube. Vou fazer o que me pedirem. Todo treinador sonha em chegar a time grande. Já tenho responsabilidade grande no sub-20. Quem sabe um dia serei o treinador realmente do Corinthians. Tenho 36 anos, não sei tudo. Tenho que me preparar para isso. Estamos fazendo boas campanhas, mas preciso me preparar mais. Mas se precisar, estou dentro (risos)”, afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.