Darko Vojinovic/AP
Darko Vojinovic/AP

A hora e a vez do ‘maluco beleza’ Mario Balotelli na decisão da Eurocopa

Após marcar os gols da classificação contra a Alemanha, jogador é a aposta da Itália contra a Espanha

Jornal da Tarde,

30 de junho de 2012 | 23h24

Algumas semanas antes da Eurocopa, Mario Balotelli disse que o torneio seria a grande chance de sua vida e que ele iria justificar a confiança que o técnico Cesare Prandelli teve nele. Pouca gente levou o atacante a sério, como sempre, mas o extravagante jogador do Manchester City está provando que suas palavras não eram da boca para fora.

Os dois gols contra a Alemanha, na semifinal, transformaram Balotelli em um dos principais jogadores da competição. Se decidir também a partida contra a Espanha, o atacante entrará no clube das grandes estrelas do futebol mundial e se tornará um ídolo na Itália. Não que ele esteja dando bola para isso, afinal Balotelli não perde tempo com essas "bobagens". "Eu jogo só para me divertir", diz ele.

Quem não tem se divertido nem um pouco com as atuações de Balotelli são os adversários da Itália. Mas seus companheiros estão adorando ver de perto a "explosão" do jogador de 21 anos. "Mario tem estado fabuloso. É um jogador com uma qualidade imensa, que está acompanhado de grandes campeões e encontrou um técnico que consegue tirar o melhor dele. Mas o mérito maior é dele mesmo", comentou o goleiro Buffon.

Prandelli, um dos responsáveis pelo bom desempenho de Balotelli, acredita que o garoto meio maluco está dando sinais de amadurecimento e por isso tem brilhado. "Chega um momento em que a pessoa tem de aceitar os conselhos e a responsabilidade, e ele tem feito isso."

Balotelli nasceu em Palermo, no sul da Itália, filho de um casal de ganeses que logo o abandonou em um hospital. Adotado aos dois anos por uma família de Concesio, no norte do país, ele começou a jogar futebol em um pequeno clube chamado Lumezzane, de onde se transferiu para a Internazionale, em 2006.

Na Inter, seu talento foi um tanto ofuscado por sua falta de disciplina, o que não mudou quando o atacante se transferiu para o Manchester City. Por causa das confusões e das expulsões estúpidas, Balotelli ficou fora de vários jogos de seu time e correu risco de não ir à Eurocopa.

Na semifinal, ele festejou a vitória dando um beijo em sua mãe adotiva, para quem havia prometido dois gols. Hoje seu pai também estará no estádio. "Agora terei de fazer quatro gols", disse Balotelli. É conveniente levá-lo a sério.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.