Jean Christophe Bott/EFE
Jean Christophe Bott/EFE

A Liga dos Campeões vai acabar? Entenda as implicações da Superliga na competição

Uefa contra-ataca, reformula Liga com mais clubes para 2024 e garante realização do torneio mais charmoso do continente

Redaçao, O Estado de S.Paulo

19 de abril de 2021 | 14h32

O futebol europeu "acordou" estremecido na manhã desta segunda-feira. Isso porque 12 dos maiores clubes da Europa - Arsenal, Manchester United, Manchester City, Chelsea, Liverpool, Tottenham, Real Madrid, Barcelona, Atlético de Madri, Juventus, Inter de Milão e Milan - formalizaram a intenção de criar uma Superliga fora da chancela da Uefa, e rompendo com a Liga dos Campeões, a tradicional competição do continente, que tem o Real Madrid como seu maior vencedor: 13 vezes.

Com o novo torneio "recheado" de gigantes europeus e suas respectivas estrelas, surge uma dúvida: será que a Superliga significa o fim da Liga dos Campeões da Europa? Ao que tudo indica, não. A princípio, a intenção dos 12 clubes é tida como uma ameaça a ser combatida. Ou seja, a Uefa, aliada com a Fifa, buscará frustrar a iniciativa com toda sua força. Os planos para que isso aconteça já estão em curso na Europa.

Através de seu presidente, o esloveno Aleksander Ceferin, a entidade máxima do futebol na Europa prometeu banir times e vetar a participação na Copa do Mundo dos jogadores que disputarem a Superliga. "Vamos tentar usar todas as sanções contra os clubes da Superliga e valorizar a Liga dos Campeões", disse Ceferin.

Se o racha se confirmar, a Liga dos Campeões vai ser enfraquecida. Mas ela não acaba. Há contratos vigentes de transmissão de seus jogos até 2023, por exemplo. Há compromissos com patrocinadores pelo mesmo período.

MUDANÇAS NO FORMATO

A Uefa anunciou nesta segunda-feira mudanças no formato da Liga dos Campeões. A principal alteração se concentra na fase inicial do torneio, que não será mais no modelo de grupos. Além disso, a competição passa a ter mais quatro participantes. Em vez de 32 times, serão 36. A entidade também incluiu uma espécie de "repescagem" antes do início da etapa final. Os oito melhores clubes se classificam, enquanto do nono ao 24º é dada nova oportunidade de disputa. As mudanças serão implementadas a partir da temporada 2024/25.

Clubes grandes e importantes estão dispostos a valoriza a Liga dos Campeões. Casos, por exemplo, de PSGm de Neymar, Bayern de Munique e Porto. Há outros. A Liga vai continuar sua fase sefiminal na próxima semana e promete achar um caminho para a edição 2021/22 casos não possa contar com os clubes dissidentes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.