Divulgação
Divulgação

'A relação com o Palmeiras voltou como tinha de ser', diz presidente da FPF

Clube foi representado pelo vice-presidente Paulo Buosi e pelo gerente de futebol Cícero Souza no Conselho Técnico do Campeonato Paulista

Guilherme Amaro, O Estado de S.Paulo

23 de outubro de 2019 | 04h30

O Palmeiras voltou a participar do Conselho Técnico do Campeonato Paulista de 2020. Após não enviar diretores na reunião na Federação Paulista de Futebol (FPF) no ano passado, o clube esteve pelo vice-presidente Paulo Buosi e pelo gerente de futebol Cícero Souza na última terça-feira.

O presidente da FPF, Reinaldo Carneiro Bastos, comentou como está a relação com o Palmeiras. O clube rompeu com a entidade após a final do Paulistão de 2018, quando alegou ter havido interferência externa na decisão que terminou com o título do Corinthians.

"O Palmeiras tem participado de todas as decisões da Federação. A relação com o Palmeiras voltou como tinha de ser. Se não é próxima de conviver, é uma relação profissional, madura, consciente, de prestigiar a competição, que é o importante", afirmou Reinaldo Carneiro Bastos.

No início deste mês, o técnico Mano Menezes e Cícero Souza já haviam comparecido a uma reunião na FPF. Em agosto, Reinaldo Carneiro Bastos e o presidente do Tribunal de Justiça Desportiva (TJD-SP), Antônio Olim, participaram da festa de aniversário do Palmeiras

A rusga entre Palmeiras e FPF vinha desde abril do ano passado. Na ocasião, o presidente alviverde, Mauricio Galiotte, chamou o Estadual de "Paulistinha". O clube também parou de enviar representantes a reuniões eventos promovidos pela FPF. Na festa de aniversário da equipe no ano passado, a entidade estadual não teve representantes convidados. O clima hostil entre ambos continuou nos primeiros meses desta temporada, com direito aos perfis das duas instituições trocarem farpas nas redes sociais sobre um lance do jogo entre Palmeiras e Novorizontino.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.