A revanche: Botafogo vence o Flamengo por 3 a 2

Equipe alvinegra bate o rival pela primeira vez em quatro anos e fica perto de vaga na semifinal da Taça Rio

Sílvio Barsetti, O Estado de S. Paulo

16 de março de 2008 | 20h35

O Botafogo quebrou uma escrita na noite deste domingo no Maracanã, ao derrotar o Flamengo por 3 a 2, em jogo válido pela quarta rodada da Taça Rio. Havia quatro anos que o time alvinegro não vencia o rival - ao todo eram 14 partidas. O resultado não muda muita coisa no Carioca. O Botafogo continua dividindo a liderança do Grupo B, ao lado do Vasco, e o Flamengo embora estacionado nos 9 pontos e que passou a segundo lugar do grupo A, atrás do Fluminense, não deve ter dificuldade para terminar o turno classificado para as semifinais.Veja também: Vasco vence e mantém liderança do Grupo B da Taça Rio O clássico serviu mais para que o Botafogo desse o troco da decisão recente da Taça Guanabara, em que foi superado pelo Flamengo num confronto marcado por polêmicas e incidentes. Já o time rubro-negro, de olho no jogo de quarta-feira, contra o Nacional, pela Libertadores, levou a campo um time reserva, com somente três titulares.A partida foi muito corrida, com várias chances de gol para os dois lados. O Botafogo tinha a seu favor o entrosamento de sua equipe. O Flamengo tentava ir ao ataque a partir do talento de Renato Augusto e das arrancadas de Leonardo Moura. E também não faltaram lances polêmicos, no Maracanã. O Botafogo reclamou três pênaltis, um deles assinalado pelo árbitro, depois de já ter aberto o placar num chute rasteiro de Wellington Paulista.Mas antes de Zé Carlos cobrar com precisão pênalti para o Botafogo, houve outro, a favor do Flamengo, que Leonardo Moura não desperdiçou. O primeiro tempo terminava com a vitória do Botafogo por 2 a 1 e muitas reclamações contra a arbitragem, dos dois times.O Botafogo fez 3 a 1 numa cabeçada de Jorge Henrique e poderia ter aplicado uma goleada se não fosse a ótima atuação do goleiro Bruno, autor de pelo menos três defesas difíceis. Numa cobrança de falta, em que a bola foi levantada sobre a área, o zagueiro Thiago Sales, também de cabeça, diminuiu para o Flamengo e ‘incendiou’ o jogo. Flamengo2Bruno; Leonardo Moura, Thiago Sales, Leonardo e Egídio; Jailton     (Marcinho), Gavilán (Léo Medeiros), Jônatas     e Toró; Renato Augusto (Maxi) e Obina    Técnico: Joel Santana Botafogo3Castillo; Alessandro, André Luís    , Renato Silva e Triguinho     (Adriano Felício); Diguinho, Túlio     (Eduardo), Zé Carlos (Wellington Júnior) e Lúcio Flávio; Jorge Henrique     e Wellington PaulistaTécnico: CucaGols: Wellington Paulista, aos 22, Leonardo Moura, aos 38, e Zé Carlos, aos 46 minutos do 1º tempo. Jorge Henrique, aos 7, e Thiago Sales, aos 23 do 2ºÁrbitro: Marcelo de Souza PintoRenda: R$ 296.733,00Público: 21.010 pagantesEstádio: Maracanã, Rio de JaneiroEnquanto o árbitro Marcelo Pinto perdia o ‘pulso’ da partida, sobravam faltas mais duras e lances desleais. Toró chutou a cabeça do goleiro Castillo fora da disputa de bola e não foi punido. Bruno agrediu Wellington Paulista e também recebeu sinal verde para seguir em frente. Túlio, do Botafogo, também deveria ter sido expulso, mas o técnico Cuca agiu mais rápido e o substituiu por Eduardo. Mas no final, o descontrole dos jogadores do Flamengo foi maior e resultou na expulsão de Jônatas e de Obina. Nada que altere a rotina do Flamengo, já classificado para a final do Carioca, por ter conquistado o primeiro turno (a Taça Guanabara).

Tudo o que sabemos sobre:
Estadual do RioBotafogoFlamengo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.