Lucas Figueiredo/CBF
Lucas Figueiredo/CBF

A seleção brasileira na pandemia: isolada, com almoço dividido e banho nos quartos

CBF se baseou em protocolos sanitários elaborados pela Conmebol, pela Fifa e pelo departamento médico da própria entidade

Marcio Dolzan, O Estado de S.Paulo

05 de outubro de 2020 | 18h15

RIO - Há anos que os treinos fechados e o acesso restrito aos jogadores são regra na seleção brasileira, mas nunca um elenco ficou tão blindado como aquele que está se reunindo agora na Granja Comary, em Teresópolis. Por conta da pandemia de coronavírus, o CT da seleção brasileira está totalmente fechado, e os jogadores têm de se submeter a normas rígidas de isolamento - o que influi até mesmo nos tradicionais momentos de descontração durante as refeições.

Para a estada de três dias em seu CT, e outros seis entre São Paulo e Lima, a seleção se baseou em protocolos sanitários elaborados pela Conmebol, pela Fifa e pelo departamento médico da própria CBF. Os jogadores estão fazendo exames para detectar o coronavírus assim que chegam a Teresópolis e também serão testados antes de cada uma das partidas das Eliminatórias. Outra testagem está prevista para o dia seguinte ao jogo com os bolivianos.

Com 23 jogadores convocados, mais a comissão técnica e todo o estafe da equipe, o restaurante do CT precisou ser adaptado para cumprir as normas de afastamento social. Com menos mesas, o grupo precisou ser dividido e o almoço agora acontece em dois turnos. Além disso, divisórias de acrílico foram colocadas nas mesas para impedir o contato direto e evitar que gotículas de saliva se espalhem pelo ar. Funcionários fixos que atuam na Granja e podem ter algum contato com os jogadores também tiveram de realizar testes de covid-19.

O protocolo ainda prevê que os jogadores não poderão tomar banho nos vestiários após os treinos e até mesmo depois dos jogos. Eles deverão fazer isso em seus quartos na Granja Comary e nos hoteis em que ficarão hospedados.

"É um momento novo e diferente, todos precisam estar conscientes. Nosso objetivo é criar um ambiente seguro para que todos os funcionários tenham condição de trabalho com segurança. Todas as medidas protetivas são tomadas, como orientação, uso de álcool em gel e máscaras, distanciamento, além das adaptações que já foram feitas no refeitório, durante o transporte... Temos todo o cuidado para que o retorno seja seguro", afirmou o médico da seleção, Rodrigo Lasmar.

Algo inédito na história da seleção, a imprensa não pode acompanhar nenhuma das atividades de forma presencial. Imagens de treinos e do dia a dia dos jogadores são produzidas pela própria CBF, e as entrevistas precisam ser feitas de forma virtual, como já acontecera durante a convocação. Os jogos também serão sem a presença dos jornalistas nos estádios - exceção feita à equipe da emissora que detém os direitos de transmissão.

TITE COMANDA TREINO E DIZ: 'SENSAÇÃO QUE TE TRAZ ALEGRIA'

Nesta segunda-feira, o técnico Tite trabalhou com oito convocados em campo: os cinco jogadores de linha Neymar, Marquinhos, Rodrigo Caio, Éverton Ribeiro e Gabriel Menino e os goleiros Ederson, Weverton e Santos. Dois jogadores do sub-20 do Vasco, o lateral-esquerdo Riquelme e o atacante Lucas Figueiredo foram chamados para completar atividade.

Tite comemorou a volta aos treinos da seleção. "É uma sensação que te traz alegria. Esse é o aspecto importante, estar com os atletas, projetar situações que vão acontecer no jogo, mesmo estando com poucos atletas, alguns recuperando e dando essa dosagem de carga. Conduzindo trabalho tático e essa projeção para o jogo, para a nossa preparação. Tem todo lado humano, todo lado de expectativa muito grande. A grandeza de representar a seleção brasileira, isso traz o aspecto emocional, algo considerável. Trazendo bom ambiente de trabalho e confiança, estamos mais próximos de desempenho e resultado".

Como Thiago Silva, Felipe, Renan Lodi e Everton Cebolinha atuaram no domingo, apenas correram em volta do campo. Richarlison, por sua vez, realizou fisioterapia no tornozelo esquerdo por causa de pancada sofrida no sábado, quando estava em campo pelo Everton.

De acordo com o médico Rodrigo Lasmar, Richarlison não deve ser desfalque para Tite. "Nossa expectativa é positiva, achamos que ele tem condição de se recuperar. Vamos acompanhando dia a dia para que ele tenha condições de voltar a treinar".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.