Abatido, Renato Gaúcho diz que grupo merecia o título

Apesar da eliminação na Libertadores e a perda do título gaúcho em pleno estádio Olímpico para o Beira-Rio, o técnico Renato Gaúcho continua com muita moral com a torcida gremista. Visivelmente abalado pela derrota nos pênaltis neste domingo, o treinador segurou o choro na entrevista coletiva após o clássico.

AE, Agência Estado

15 de maio de 2011 | 20h24

Com tom de voz baixo, Renato justificou a tristeza alegando sentimento idêntico ao dos torcedores que lotaram o Olímpico e viram o Inter ser campeão apesar da vantagem gremista conquistada no primeiro jogo e ampliada com o gol de Lúcio.

"Foi um grande jogo, com cinco gols. Saímos na frente, tivemos uma chance clara de matar o jogo ainda no primeiro tempo, mas o futebol te pune. Não vamos tirar os méritos do Internacional, mas também fomos bem. Dos últimos anos, este foi o melhor Gre-Nal", disse o treinador, lembrando chance perdida aos 18 minutos da primeira etapa por Junior Viçosa.

Ele exaltou o trabalho do treinador rival, ressaltando que os dois times mereciam o título. "O Falcão está de parabéns. O sentimento dele é o mesmo meu, o grupo merecia ser campeão, o preparei para isso. O sentimento é de todo o grupo, não deu, desculpe", afirmou Renato Gaúcho, segurando o choro.

Sentimento parecido expressou o presidente gremista, Paulo Odone. "Estamos muito tristes e chateados. Perder em casa quando tínhamos a chance de ganhar. O time fazia jus a isso pelo campeonato, mas temos que reconhecer o valor do Internacional. Precisamos pedir desculpas para o torcedor, que nos apoiou o tempo inteiro".

O dirigente afirmou que começará avaliar o futuro a partir de segunda-feira, mas não o fará publicamente. Mesmo assim cutucou a opção tática de Renato Gaúcho. "Foram dois Gre-Nal com dez gols, jogo aberto. Para quem gosta de futebol ofensivo foi uma maravilha. Eu, às vezes, prefiro o 1 a 0 apertado, fechadinho. Isso favoreceu o Internacional", criticou Odone.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.