ABC empata com Bahia na Fonte Nova, mas é rebaixado à Série C

O empate por 2 a 2, na noite desta terça-feira, pode não ter feito nenhuma diferença para o ABC, mesmo assim rebaixado à Série C do Campeonato Brasileiro, mas pode mudar a vida do Bahia. A equipe baiana, jogando em casa, na Arena Fonte Nova, pela 35.ª rodada da Série B, contava com uma vitória e agora está mais distante de fazer o caminho oposto e avançar à primeira divisão.

Estadão Conteúdo

10 de novembro de 2015 | 23h45

Além de precisar da vitória, o ABC precisava de tropeços de Macaé e Ceará. O primeiro empatou com o Náutico, por 1 a 1, mas a equipe cearense venceu o Bragantino, por 3 a 0, e ajudou a rebaixar o time potiguar, que fica com 29 pontos, na 18.ª colocação. Também Mogi Mirim e Boa já caíram.

O Bahia, por sua vez, perdeu mais uma chance de entrar no G4, ficando em sétimo, com 55, a três pontos do Santa Cruz, quarto colocado. Também Sampaio Corrêa (57) e Náutico (56) estão entre o Bahia e a zona de acesso.

O JOGO - Aproveitando da fragilidade do visitante, o Bahia iniciou entrou em campo pronto para surpreender e na eficiência do artilheiro Kieza abriu o marcador. Aos 7 minutos, Eduardo aproveitou falha grotesca na defesa adversária para deixar o atacante na cara de Saulo. O camisa 9 só empurrou para o fundo das redes.

Apesar de todas as limitações, o ABC não desistiu de deixou tudo igual. Aos 29 minutos, após boa triangulação do ataque potiguar, Pingo arriscou de longe e mandou no ângulo de Douglas Pires. Apoiado por seus torcedores, o Bahia logo se recuperou do baque e se colocou novamente em vantagem. Roger recebeu de Eduardo, dominou dentro da área e deixou a sua marca.

A festa, porém, durou pouco. Dois minutos depois, Chiclete tocou de letra para Bismark. O atacante cortou Douglas Pires e só completou para dar uma sobrevida ao ABC na luta contra o rebaixamento.

No segundo tempo, a partida caiu muito de produção. O ABC cansou, enquanto o Bahia não conseguiu aproveitar a posse de bola para se colocar novamente perto do G4. A melhor chance saiu nos pés de Maxi Biancucchi. O primo de Messi apareceu livre de marcação e tentou por cobertura. A bola, caprichosamente foi para fora.

Na próxima rodada, o ABC enfrenta o Mogi Mirim na sexta-feira, às 21h, no Frasqueirão, em Natal (RN), em jogo de dois times rebaixados. No sábado, o Bahia visita o Boa às 17h30, no Estádio do Melão, em Varginha (MG).

FICHATÉCNICA:

BAHIA 2 X 2 ABC

BAHIA - Douglas Pires; Cicinho (Railan), Gabriel Valongo, Gustavo e Vitor Costa; Yuri, Tiago Real e Eduardo (Alexsandro); Maxi Biancucchi, Kieza e Roger (Rômulo). Técnico - Charles Fabian.

ABC - Saulo; Reginaldo, Adriano Alves, Sueliton (Luizão) e Marcílio; Rafael Miranda, Fábio Bahia, Jadson Chiclete (Ednei) e Ronaldo Mendes; Pingo (Romarinho) e Bismark. Técnico - Sérgio China.

GOLS - Kieza, aos 7, Pingo, aos 26, Roger, aos 39, e Bismark, aos 41 minutos do primeiro tempo.

ÁRBITRO - Heber Roberto Lopes (SC)

CARTÕES AMARELOS - Cicinho (Bahia); Marcílio e Pingo (ABC).

RENDA - R$ 159.353,50.

PÚBLICO - 9.283 pagantes.

LOCAL - Arena Fonte Nova, em Salvador (BA).

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBahiaABCSérie B

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.