Reuters
Reuters

Abedi Pelé é nomeado para conselho que visa reestruturar o futebol de Gana

Cúpula da Associação de Futebol de Gana havia sido dissolvida após um escândalo de corrupção

Estadão Conteúdo

13 Junho 2018 | 19h06

O governo de Gana nomeou nesta quarta-feira cinco dirigentes para administrar provisoriamente a Associação de Futebol de Gana (GFA, na sigla em inglês). A cúpula da entidade máxima do futebol do país havia sido dissolvida após um escândalo de corrupção envolvendo seu presidente ter sido revelado.

+ Voto do Brasil na candidatura do Marrocos aprofunda descrédito sobre a CBF

+ Investigada após escândalo, Copa na Rússia é aposta da Fifa para abafar sua crise

Entre os dirigentes designados para reestruturar o futebol local está o ex-jogador da seleção ganesa Abedi Pelé. O grupo terá a missão de organizar novas eleições, reiniciar o campeonato nacional de futebol e começar o processo de renovação de mais uma corrompida entidade do mundo da bola.

O escândalo de corrupção veio á tona no último mês e envolveu Kwesi Nyantakyi, então presidente da GFA, vice-presidente da Confederação Africana de Futebol e membro do conselho da Fifa. O dirigente foi excluído de todos os cargos que ocupava.

Nyantakyi foi flagrado em um documentário recebendo US$ 65 mil (cerca de R$ 250 mil). No contato com os produtores da obra, que eram repórteres disfarçados de empresários, o ganês recebia o dinheiro com a promessa de ajudar os interlocutores com favores junto ao presidente e ao vice-presidente do país.

A Fifa suspendeu Nyantakyi provisoriamente por 90 dias enquanto o comitê de ética investiga as denúncias. Os integrantes do governo federal negaram relação próxima com o dirigente esportivo e também investigam o caso.

 

 

Mais conteúdo sobre:
futebol Gana [África] Abedi Pelé

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.