Lucas Merçon/Fluminense
Lucas Merçon/Fluminense

Abel assume má atuação do Fluminense e vê Portuguesa injustiçada: 'Tivemos sorte'

"Inclusive, o árbitro teve um erro grosseiro a meu favor", disse o treinador

Estadão Conteúdo

25 Janeiro 2018 | 11h26

Conhecido pela sinceridade em suas entrevistas, o técnico Abel Braga reconheceu que o Fluminense jogou muito mal no empate sem gols com a Portuguesa no estádio Giulite Coutinho, pela terceira rodada do Campeonato Carioca, na noite desta quarta-feira. O resultado mantém o Flu ainda sem vitórias no ano.

+ Confira a tabela da Taça Guanabara

Além de admitir o mau desempenho de seus comandados, Abel também assumiu que a Portuguesa foi melhor em campo e, por isso, acredita que o resultado foi injusto, já que o adversário mandou duas bolas na trave a ainda teve um pênalti não marcado pela arbitragem.

"Vou ser sincero contigo, nós tivemos sorte em conseguir empatar. O resultado é muito injusto para a Portuguesa. Inclusive, o árbitro teve um erro grosseiro a meu favor. Teve uma jogada na nossa área que foi muito pênalti. Depois disso tiveram algumas coisas que ele errou, mas até nisso, por ter levado duas bolas na trave, a gente não pode falar absolutamente nada. O time da Portuguesa foi infinitamente superior", reconheceu.

Apesar de análise ruim que fez sobre seu time, Abel elogiou a defesa, que não sofre gols há dois jogos, e crê que outro resultado ruim não é motivo para desespero.

"Hoje, nosso jogo como um todo foi muito ruim, tivemos três ou quatro jogadores que estiveram num nível normal, os demais foram muito abaixo", disse. "Queira ou não, são dois jogos sem sofrer gols, coisa que não acontecia no ano passado. Contra o Botafogo, usamos esse esquema de jogo e foi bom, nosso segundo tempo foi ótimo".

Lanterna do grupo C com dois pontos, o Fluminense volta a campo domingo, às 19h, diante do Madureira, no estádio Raulino de Oliveira. Com outro jogo a disputar além da partida com o Madureira, Abel não escondeu o jogo e disse que acha "impossível" que sua equipe se classifique para as semifinais.

"Vamos botar a melhor equipe sempre e tentar ganhar. Mas não tenho dúvida que, por isso, arriscamos tudo hoje. Esse empate, para nós, não servia. A situação está complicadíssima, acho que impossível. Porque quando você começa a não depender mais de você, é muito difícil", admitiu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.