Nelson Perez/Fluminense FC
Nelson Perez/Fluminense FC

Abel Braga define Fluminense com mesmo time de domingo para jogo da Sul-Americana

Equipe carioca visa obter vantagem no placar jogando a partida de ida em casa, no Maracanã

Estadão Conteúdo

28 de junho de 2017 | 20h14

O Fluminense finalizou, nesta quarta-feira, a preparação para enfrentar a Universidad Católica, do Equador, em compromisso marcado para esta quinta, às 21h45, no estádio do Maracanã, no Rio, válido pela segunda fase da Copa Sul-Americana. A intenção do time tricolor é obter uma boa vantagem na partida de ida, em casa, e evitar levar a decisão para a altitude de Quito.

Após o treino no CT Pedro Antônio, no Rio, o técnico Abel Braga adiantou que a estratégia para enfrentar os equatorianos será a de manter o time que empatou com o São Paulo, no domingo passado, no estádio do Morumbi, pelo Campeonato Brasileiro. O treinador revelou que cometeu um erro neste jogo ao escalar o atacante Wellington, ainda em recuperação física devido a uma lesão.

"Conversei com o Wellington. Me precipitei em colocar ele naquele momento. Tinha que ser naquele momento como o Scarpa, (atuar somente) 15 minutos. Ele jogou um jogo treino, teve mais chances de treinar, então estou levando ele para o jogo. A gente não pode ficar mudando muito a equipe porque são jogos eliminatórios", projetou o técnico do Fluminense.

Desta forma, o time que deverá iniciar o confronto diante da equipe equatoriana será o seguinte: Júlio César; Lucas, Reginaldo, Henrique e Leo; Orejuela, Wendel, Gustavo Scarpa e Marquinhos Calazans; Richarlison e Henrique Dourado.

POLÍTICA TRICOLOR

Abel Braga se esquivou de opinar sobre a saída do vice-presidente de projetos especiais do clube, Pedro Antonio Ribeiro da Silva, anunciada nesta quarta-feira. O dirigente foi exonerado pelo presidente do time tricolor, Pedro Abad, após ter revelado detalhes do projeto de construção do estádio do clube no Parque Olímpico do Rio de Janeiro.

"O Fluminense tem de ter estádio. Antes de ser torcedor, sou treinador, profissional do clube. Há seis meses, tinha possibilidade de ser treinador de outros grupos na eleição. Acabei sendo treinador do Abad, a quem nem conhecia. Isso significa que não me envolvo com política. Eu só opto pelo certo. Está fora da minha alçada. Já falei a vocês que o presidente é correto, transparente. Me dou bem com (Roberto) Horcades, com o Celso (Barros). E me dou bem com o Abad. Não me diz respeito comentar a saída do Pedro Antonio. Agora, se foi problema político, espero que não entre aqui no CT", enfatizou Abel Braga.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.