Abel Braga desdenha do mistério de Leão

O técnico do Fluminense, Abel Braga, desdenhou nesta sexta-feira do suspense que o treinador do Palmeiras, Emerson Leão, está fazendo para escalar a equipe para a partida deste domingo, pela última rodada do Campeonato Brasileiro. Ele ainda enfatizou que tem a confiança em seus jogadores para a conquista da vaga à Copa Libertadores da América, mas ressaltou que o time carioca é a ?zebra? do confronto. ?Não há nada mais para esconder. Tanto eu quanto ele sabemos os que iremos fazer no domingo. Ele precisa ganhar, eu também. Então, vamos jogar para frente?, afirmou Abel Braga, durante o treino realizado na tarde desta sexta no Centro de Treinamentos do São Paulo, na Barra Funda. ?O Fluminense sempre foi ofensivo comigo. Não tenho porque mudar agora. Temos a possibilidade de vitória e estamos preparados?. Por causa das derrotas nos cinco últimos jogos, o técnico do Fluminense destacou que o time passou a ser considerado a zebra para o embate deste domingo. Mas, o discurso usado por Abel Braga não reflete seu sentimento, já que reforçou várias qualidades do elenco e ainda tem o desejo de armar a equipe com três atacantes: Tuta, Beto e Rodrigo Tiuí. Apesar da possibilidade de escalar um time com três atacantes, dando ênfase ao setor ofensivo, o técnico do Fluminense não deixou de conversar especificamente com os jogadores da defesa. A principal preocupação de Abel Braga são com os constantes avanços de Marcinho, Juninho Paulista e Daniel.?O Marcinho e o Juninho Paulista saem em velocidade vindos com a bola de trás. São perigosos. O mesmo acontece nas cobranças de falta para o Daniel?, afirmou o treinador. Reforços - E, mesmo sem terminar o Campeonato Brasileiro, a diretoria do Fluminense começou a viabilizar a contratação de reforços para a temporada de 2006. Nesta sexta, os nomes do goleiro Diego, do Atlético-PR, e o lateral-direito Rogério, do Sporting de Lisboa, foram os primeiros a serem confirmados pelo clube como possíveis aquisições do clube para a próxima temporada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.