Abel Braga diz que fica na Ponte

A derrota para o Goiás por 2 a 0 na última quarta-feira à noite, em Campinas, a 14ª em 38 jogos no Campeonato Brasileiro, não será motivo para causar a demissão do técnico Abel Braga. Quem garante é o próprio treinador pontepretano, que completou 50 jogos à frente do time na atual temporada.Após o término da partida a torcida seguiu para o lado de fora do Estádio Moisés Lucarelli e protestou contra a atual situação do time. Os xingamentos atingiram até mesmo Abel, que antes tinha total apoio dos torcedores. Além de pedir a cabeça do treinador, a torcida queria ainda a saída de alguns jogadores, como o meia Piá, mudanças na comissão técnica e diretoria."Não vou sair por causa da pressão da torcida. Se tiver que deixar a Ponte Preta, deixarei pela minha cabeça", garantiu o treinador, que estaria com sete meses de salários atrasados. Mesmo com tantos problemas, que aumentou ainda mais com as suspensões do zagueiro Gerson e do meia Piá, desfalques certos contra o Vitória sábado, no Majestoso, Abel Braga viu alguns pontos positivos em sua equipe diante do Goiás."Sabíamos das dificuldades que enfrentaríamos, mas não merecíamos este resultado. Os jogadores foram guerreiros e mostraram muito amor pela Ponte Preta. Saio de campo triste por isso. Eles mereciam algo melhor", comentou, friamente. Para a torcida, porém , o que vale mesmo são os números: há 103 dias a Ponte Preta não vence no Majestoso. Além disso, tem o pior rendimento no returno entre todos os participantes. Em 15 jogos, perdeu oito, venceu dois e empatou cinco vezes, tendo marcado 18 gols e sofrido 2 9, com saldo negativo de 11.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.