Abel Braga pede desculpas ao STJD

Para não ser suspenso do futebol por até dois anos, o técnico do Flamengo, Abel Braga, pediu nesta segunda-feira desculpas ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) e culpou os jornalistas pelo "lamentável equívoco" ao publicar suas declarações sobre o adiamento da primeira partida pela semifinal da Copa do Brasil, contra o Vitória. Na ocasião, ao saber do ato do tribunal, o treinador fez severas críticas, mas em carta enviada ao presidente da instituição Luiz Zveiter, nesta segunda, disse que se referia à Confederação Brasileira de Futebol (CBF). "Dirijo-me respeitosamente à Vossa Excelência com o propósito de tentar esclarecer um lamentável equívoco cometido pela imprensa e que envolve o meu nome", escreveu o técnico do Flamengo. Nesta segunda-feira, o STJD iria indiciar o treinador por ter se dirigido desrespeitosamente à instituição. "De fato, critiquei a CBF que alterou o local do jogo entre o Flamengo e o Vitória-BA válido pela Copa do Brasil, mas não me referi a este Tribunal e nem a qualquer um de seus auditores, por quem tenho profundo respeito." Na carta, além de dizer que criticou a CBF, Abel Braga errou ao explicar o motivo de suas críticas: a alteração do local do jogo. Na semana passada, o STJD optou por adiar a partida contra o Vitória até que o recurso do clube baiano, que havia sido punido com a perda de um mando de campo, fosse julgado.Ao saber da decisão tomada pelo STJD, o técnico do Flamengo, revoltado, disse que estava arrependido de ter voltado a trabalhar no Brasil - antes estava na França. Além disso, fez várias insinuações aos auditores da instituição. "As pessoas que não são do futebol estão sempre querendo prejudicar o esporte", disse Abel Braga após ser informado do adiamento. O pedido de desculpas de Abel foi motivado pela pena de até dois anos de suspensão, caso fosse condenado. O treinador, perdoado pelo presidente do STJD após a retratação, seria julgado no art. nº 190, do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (SBJD) . De acordo com o art. nº 190, "manifestar-se de forma desrespeitosa ou ofensiva contra ato ou decisão de entidade de administração do desporto e da justiça desportiva", prevê uma pena de suspensão de 30 a 360 dias. Se as declarações foram dadas pela imprensa, caso de Abel Braga, a condenação passa a ser mínima de 60 dias e máxima de 720 dias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.