Rafael Ribeiro / Vasco
Rafael Ribeiro / Vasco

Abel considera atuação do Vasco 'inadmissível' e não descarta demissão nesta 6ª

Em casa, equipe perde para o Goiás e treinador segue sendo alvo da torcida

Redação, Estadao Conteudo

13 de março de 2020 | 01h04

O semblante fechado de Abel Braga na entrevista coletiva resumiu bem a apresentação do Vasco na derrota para o Goiás, por 1 a 0, no Estádio de São Januário, pela partida de ida da terceira fase da Copa do Brasil.

Um dos principais alvos dos torcedores presentes no estádio, além do presidente Alexandre Campelo, o técnico se mostrou indignado com o desempenho do time no primeiro tempo, quando foi dominado pelo Goiás. "Você não pode chegar num jogo de tamanha importância como esse, com estádio lotado, incentivo abismal do torcedor, e ter a atitude que tivemos no primeiro tempo. É inadmissível. Eu saí com vergonha para o intervalo", desabafou Abel Braga.

O treinador, inclusive, interrompeu um repórter quando estava sendo questionado sobre o abatimento: "Não estou abatido nada. Todo dia vocês vêm com esse papo. Não estou satisfeito com meu time."

Ao ser perguntado se pensou em entregar o cargo após o jogo desta quinta-feira, Abel Braga disse que não vai tomar qualquer decisão de cabeça quente. "Não tomo mais essas decisões de cabeça quente. Se eu tiver que pedir demissão, faço isso amanhã (sexta-feira) ou depois. Porque gosto muito do Vasco", finalizou o treinador.

Na próxima quarta-feira, no Olímpico, em Goiânia, o Vasco precisa ganhar por dois ou mais gols de vantagem para se classificar. Uma vitória simples do time carioca leva a decisão para os pênaltis.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolVascoAbel BragaCopa do Brasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.