Abel descarta trocar Fluminense pelo Atlético-MG e reclama de vaias após empate

Técnico também comenta sobre rumores da transferência de Richarlison

Estadão Conteúdo

21 de julho de 2017 | 10h22

O empate do Fluminense com o Cruzeiro por 1 a 1, na última quinta-feira, em Edson Passos, pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro, acabou sendo ofuscado na entrevista coletiva de Abel Braga por movimentações no mercado, tanto que o próprio treinador precisou comentar sobre o suposto interesse do Atlético Mineiro na sua contratação para substituir o recém-demitido Roger Machado. O técnico se declarou "orgulhoso" com o desejo de ser levado para Belo Horizonte, relembrou a sua passagem anterior pelo time de Minas Gerais, mas descartou a possibilidade de deixar o Fluminense nesse momento.

"Vou continuar com meu trabalho aqui. Lamento a saída do colega, o Atlético é um grande clube, com grande time e jogadores, vão procurar o melhor, mas eu não estou disponível no mercado. É mais um colega que deixa o clube no meio do caminho, quartas de final da Copa do Brasil, Libertadores com possibilidade de passar. É um grande clube, trabalhei lá em 2001, também tinha subido 14 ou 15 jovens, não se tinha dinheiro e depois, não houve mais oportunidade de voltar. Também tive proposta de clube grande de São Paulo em momentos que não tinha como romper contrato, uma vez estava nos Emirados Árabes, em outra, no Inter. Mas se realmente houve o interesse, me enche de orgulho", afirmou.

No empate com o Cruzeiro, o gol do Fluminense foi marcado por Richarlison, em cobrança de pênalti. E ainda que o clube já tenha rejeitado ofertas do Ajax, em janeiro, e do Palmeiras, essa mais recente, Abel garante que novos rumores sobre uma possível transferência não vão afetar o rendimento em campo do seu atacante.

"Interesse no atleta é normal, é um atacante com essa agressividade, marcando gol em todo jogo, que joga para a equipe. O mais importante de tudo é que o Richarlison, hoje, tem outra cabeça. Vai ter um momento certo em que ele vai sair, mas enquanto não for, vai continuar fazendo isso para nós, nos ajudando a conseguir bons resultados", disse.

Abel admitiu que não gostou das vaias da torcida ao Fluminense no duelo com o Cruzeiro e defendeu a atuação do seu time. "Conversei com o Mano depois do jogo e sobre algumas vaias e ele perguntou o motivo. Também não consigo entender, não empatamos com um time qualquer, empatamos com o Cruzeiro. Um futebol super bem jogado, jogo pegado tecnicamente, sem retranca, todo mundo procurando ocupar o espaço, então, não entendi", afirmou.

O empate levou o Fluminense aos 21 pontos, em nono lugar no Brasileirão. O time voltará a jogar no próximo domingo, quando vai receber o Corinthians, no Maracanã, com Abel admitindo que o time tem a obrigação de vencer para atingir a meta traçada.

"Antes do jogo contra o Coritiba, disse para o time que tínhamos que fazer sete pontos nesses três jogos. Já foram quatro e agora, temos que fazer de tudo para ganhar domingo. O Corinthians é um grande time, bem treinado, mas não apavora. Vamos ver como será domingo, depois temos outra pedreira, viagem longa, altitude. O importante é estar preparado, vamos brigar pelos três pontos domingo", comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.