Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

Abel diz que Fluminense fez 'jogo memorável', mas revela que desejava mais gols

Vitória por 3 a 0 sobre o Vasco classificou o time à decisão do Campeonato Carioca

Estadao Conteudo

23 de abril de 2017 | 10h54

O técnico Abel Braga não economizou nos elogios ao Fluminense após a vitória por 3 a 0 sobre o Vasco, na noite de sábado, no Maracanã, resultado que classificou o seu time à decisão do Campeonato Carioca. Ele lembrou que a equipe só precisava do empate para avançar no torneio estadual, mas adotou uma postura ofensiva, dominou o clássico e poderia ter triunfado por um placar ainda mais dilatado, superando o desgaste, pois havia jogado na quarta-feira contra o Goiás.

"Esse foi um jogo especial. Há muito não vejo uma atuação como esse. Por que? Porque nós fizemos essa partida sem ter completado 72h do jogo com Goiás, que terminou 0 a 0 no primeiro tempo. Fizemos 3 a 0. Menos de 72 horas depois, termino o primeiro tempo, que te dá a vantagem de chegar à final, você vai para o segundo tempo e faz três gols no adversário? Acho que tem muita coisa provada aí. E o time não abdicou de tentar fazer mais gols. O que me irritou mais é que não precisava mais o drible, quando ficou com um jogador a mais. Amanhã, se que se eu estiver perdendo de 3 a 0 com um a menos, ninguém vai ter pena do meu time não. Vão tentar fazer mais, quatro, cinco. Não tenho nada que falar. Estou maravilhado porque a estratégia só dá certo se o jogador acreditar no que você fala. Ninguém, nenhum de vocês, ou nenhum torcedor, com o Fluminense jogando com a vantagem do empate, que marcaríamos o Vasco na saída de bola. Quebramos o jogo completamente do Vasco. Tentaram a jogada aérea, um erro de marcação. No segundo tempo os erros deixaram que acontecer e isso provou que fisicamente essa equipe está muito bem trabalhada", celebrou.

Bastante identificado com o Fluminense, clube em que atuou como jogador e também teve outras passagens como técnico, Abel também revelou que não sentia uma alegria tão grande em uma partida desde a conquista do título do Campeonato Brasileiro desde 2012. E ele classificou a atuação como memorável.

"Desde então nenhuma partida tenha me deixado tão feliz. Eles acreditaram na estratégia, na surpresa. Se ficasse esperando o Vasco, que é uma característica nossa, não sei o que poderia ter acontecido. Tínhamos que fazer algo diferente. A alegria que sinto é porque nós não abdicamos, entramos com três atacantes, marcando alto e, claro, depois do que a gente viu, enaltece muito os jogadores. Uma equipe que preza o coletivo, que acredita no que passamos. Um jogo memorável", comentou.

O Fluminense vai conhecer neste domingo o seu adversário na decisão do Campeonato Carioca, que sairá da semifinal entre Flamengo e Botafogo. Abel demonstrou respeito pelos potenciais adversários e até apontou superioridade do clube da Gávea sobre o seu time.

"Conquistamos a Taça Guanabara contra o Flamengo, mas sabemos que o Flamengo tem um coletivo superior. Melhor que o nosso. Mas vai ser isso aí, vai ser duelo. Time de grandes valores, mais experiente, treinador desde o ano passado, que é muito bom, por sinal. Botafogo também vem com Jair com ótimo trabalho, que dificulta muita na marcação. Então, estamos felizes porque alcançamos um objetivo, mas falta alguma coisa", comentou.

Antes de iniciar as finais do Campeonato Carioca, o Fluminense terá compromisso pela Copa da Primeira Liga, na próxima quarta-feira, diante do Brasil de Pelotas. A equipe precisa de um empate para avançar às quartas de final e Abel deu a entender que deverá poupar alguns titulares.

"Quarta-feira não sei que time vou botar não. Jogadores querem jogar, mas é complicado. Preciso vencer e classificar na Primeira Liga. Vamos até onde der, e depois vamos pensar no que fazer", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.