Nelson Perez/Divulgação
Nelson Perez/Divulgação

Abel diz que não entrega cargo, mas admite saída do Fluminense

Depois de derrota para o Grêmio, treinador reconheceu peso de fase ruim do clube

AE, Agência Estado

29 de julho de 2013 | 10h49

PORTO ALEGRE - Depois de o Fluminense cair por 2 a 0 diante do Grêmio, neste domingo, em Porto Alegre, o técnico Abel Braga viu a sua situação ficar complicada no comando da equipe carioca. O treinador negou que irá pedir demissão no momento em que o time ocupa a 17.ª posição do Campeonato Brasileiro, encabeçando a zona de rebaixamento, mas já admite que pode ser demitido a qualquer momento.

O treinador reconheceu que a sequência de resultados ruins pesa muito no clube que defende a condição de atual campeão nacional e tem um elenco forte, fatos que já fazem a diretoria tricolor assumir que pode ocorrer uma troca de comando.

"Estamos precisando vencer um jogo. Não esperava um grande primeiro semestre também, os problemas já começaram na pré-temporada, depois da primeira semana perdemos o Gum, Deco, Fred e Thiago Neves (por lesão), mas nós temos que reagir. Temos que encaixar duas ou três vitórias, mas não podemos nunca esquecer que já são cinco derrotas. É claro que isso preocupa, agora estamos em um momento de total reflexão", analisou o comandante.

Em seguida, Abel deixou claro que o fim de sua trajetória no Fluminense pode estar próxima de acontecer. "Não penso em entregar o cargo, mas o que vai acontecer amanhã (segunda-feira) eu não sei. A minha única preocupação é fazer o Fluminense voltar a vencer. E essa mudança no campeonato vai acontecer. Não sei se vai ser com o Abel ou com outro. Mas está na hora de mudar até pela dedicação do grupo", completou.

O Fluminense deve se pronunciar nesta segunda-feira sobre a situação de Abel, que corre sério risco de ser demitido em um momento no qual nomes de peso como Vanderlei Luxemburgo e Muricy Ramalho estão desempregados. A possível contratação do primeiro deles como substituto de Abel, inclusive, teria a aprovação de Celso Barros, presidente da Unimed, principal patrocinadora do clube.

Mas, independentemente do futuro a ser definido para Abel, o certo é que o Fluminense voltará a entrar em campo pressionado nesta quarta-feira, quando enfrentará o líder Cruzeiro, às 19h30, no Maracanã, pela décima rodada do Brasileirão.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolFluminenseAbel Braga

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.